slider

Recent

Tecnologia do Blogger.
Navigation

Homenagens à Chapecoense em Medellín e pelo mundo

Fãs do Atlético Nacional fazem homenagem às vítimas da tragédia com o voo da Chapecoense, no estádio Atanasio Girardot, em Medellín, na Colômbia
Foto: AP Photo/Fernando Vergara


 Milhares de pessoas compareceram nesta quarta-feira (30) ao estádio Atanasio Girardot, em Medellín, na Colômbia, para prestar homenagem às vítimas da queda do voo que transportava a delegação da Chapecoense e jornalistas, na noite da última segunda-feira.

O estádio seria o local da partida entre o Chapecoense e o Atlético Nacional, o primeiro jogo da final da Copa Sul-Americana. No horário em que começaria o jogo, às 21h45 (horário de Brasília) o estádio já estava em sua capacidade máxima, com pessoas vestidas de branco e com uma vela acesa para se solidarizar com as vítimas, suas famílias e países de origem – Brasil, Venezuela e Paraguai.

Outras milhares de pessoas, segundo o canal Telemedellín, ficaram do lado de fora do estádio e acompanharam a cerimônia por telões. Durante um minuto de silêncio, os expectadores também acenderam seus celulares.

A Arena Condá, a casa do clube em Chapecó, também prestou homenagem às vítimas da tragédia nesta noite.
 
 
Mascote e crianças da cidade dão a volta no gramado na Arena Condá, em Chapecó, durante a cerimônia na noite de quarta-feira (30)
Foto: Diego Madruga/GloboEsporte.com


O acidente com o jato Avro RJ-85 da empresa aérea boliviana LaMia deixou 71 mortos. Até o fim da tarde desta quarta, 45 corpos já tinham sido identificados. Seis pessoas sobreviveram e estão internadas em hospitais locais, algumas em estado crítico.

No Atanasio Girardot, o ministro de Relações Exteriores do Brasil, José Serra, fez um discurso emocionado, em que agradeceu a solidariedade do povo colombiano. "Muito obrigado Colômbia. Nesses momentos de grande tristeza imensa para as famílias, para todos nós, as expressões de solidariedade que aqui encontramos, aqui no Atanasio Girardot, nos oferecem um grau de consolo imenso. Uma luz no escuro quando todos estamos tentando compreender o incompreensível", disse Serra.

"Não nos esqueceremos a forma como os colombianos sentiram como seu o terrível desastre que interrompeu o sonho desse time herói da Chapecoense. Uma espécie de conto de fadas com final de tragédia", afirmou, acrescentando que o país também não esquecerá a postura do Atlético Nacional de pedir que o Chapecoense seja declarado campeão da copa Sul-Americana.

Juan Carlos de la Cuesta, presidente do Atlético Nacional, prestou sua solidariedade às famílias de todas as vítimas e pediu união no futebol. “Hoje é um momento para convidar à reflexão, a saber que o mais importante é a vida, a saber que a união, a convivência, a convivência no futebol... Se não temos clubes rivais não há futebol, se não temos torcidas rivais, não há festa no futebol. Convidamos para que esse seja o momento para que haja união e convivência no futebol, é o que queremos todos nós”, disse.

 Também falaram outras autoridades, como o presidente da Conmebol, Alejandro Dominguez; o diretor técnico do Atlético Nacional, Reinaldo Rueda; o prefeito de Medellín, Federico Gutiérrez; o governador de Antioquia, Luis Pérez Gutiérrez.

Ao final, crianças entraram ao campo com balões brancos e os soltaram enquanto os apresentadores liam os nomes das 71 vítimas. Da arquibancada, o público jogou flores no campo.

Acidente

Enquanto eram feitas as homenagens no estádio em Medellín, o secretário de Segurança Aérea da Colômbia, Freddy Bonilla, concedeu uma coletiva de imprensa em que afirmou que o avião Chapecoense estava sem nenhum combustível em seus tanques ao cair e anunciou a abertura de uma investigação.

 Uma das linhas de investigação para a queda, segundo Bonilla, é ter havido pane seca, quando a falta de combustível faz parar os sistemas elétricos da aeronave.

Uma gravação divulgada pela imprensa colombiana nesta quarta mostra conversa entre um dos pilotos do voo em que ele pede prioridade à controladora de tráfego aéreo justamente em razão da falta de combustível.

O avião havia saído de Santa Cruz de la Sierra (Bolívia) e ia para o aeroporto José María Córdova, em Medellín. O avião havia sido fretado pela Chapecoense.
A tripulação do LaMia pediu prioridade para pouso às 0h48 (horário de Brasília). Mais tarde, declarou emergência.

Segundo Bonilla, o avião bateu em baixa velocidade contra a montanha, 250 km/h, o que permitiu ter havido sobreviventes --eles estavam em posições diferentes da cabine de passageiros, disse. Ele acrescentou que não recebeu, até o momento, denúncias de irregularidades contra a LaMía.
 
 
Fonte: portal G1


Clubes entram em campo pelo mundo com homenagens à Chapecoense
 
Assim como aconteceu na última terça-feira, clubes ao redor do mundo continuam homenageando o clube da Chapecoense, que sofreu uma das maiores tragédias da história do futebol mundial. O avião da delegação da equipe catarinense caiu enquanto voava para Medellín, na Colômbia, para a disputa da grande decisão da Copa Sul-Americana desta temporada. Ao todo, 71 pessoas morreram, sendo 19 jogadores, enquanto apenas seis sobreviveram.

Em jogo válido pela Copa do Rei, contra o Leonesa, no Santiago Bernabéu, o Real Madrid prestou uma homenagem às vítimas do acidente ocorrido na Colômbia. Todos os jogadores do time merengue entraram em campo com a seguinte mensagem na frente da camisa: "Todos Somos Chapecoense".

Jogadores do Real Madrid fazem homenagem à Chapecoense

Com os jogadores dos dois times perfilados no meio-campo, foi também respeitado, antes do apito inicial, um minuto de silêncio (vídeo abaixo) pelo acidente.

Real Madrid vs. Chapecoense, Copa del Rey #ForcaChapecoense pic.twitter.com/https://t.co/AAxjNab0za
 
— Federico Llano (@llanof) 30 de novembro de 2016

Outro clube que prestou homenagem à Chapecoense foi o Saint-Étienne. O clube francês, que também é alviverde, entrou em campo contra o Olympique de Marselha com o escudo da equipe catarinense estampado ao lado do seu. A partida era válida pela 15ª rodada do Campeonato Francês e aconteceu no Estádio Geoffroy Guichard.
 
 
Saint-Étienne entrou em campo com o escudo da Chapecoense na camisa
Foto: AFP / JEAN-PHILIPPE KSIAZEK


 Outro grande clube que prestou homenagem à Chapecoense foi o Manchester United. Nesta quarta, o locutor do tradicional estádio anunciou antes de a bola rolar contra o West Ham, pelas quartas de final da Copa da Liga.
 
"Old Trafford, na manhã de ontem (terça) a comunidade do futebol foi atingida com a notícia do avião que caiu com a equipe brasileira Chapecoense. O time jogaria a final da Copa Sul-Americana nesta noite. Tragicamente, 71 pessoas perderam suas vidas. E, nesta noite, nós lembraremos deles. Um período de silêncio começará e terminará ao apito do juiz". Na sequência, torcedores aplaudiram a atitude.

Old Trafford pays respect following Tuesday's tragic events in Colombia.@ChapecoenseReal, we are with you. https://t.co/ lV8sT78ZrZ

— Manchester United (@ManUtd) 30 de novembro de 2016

O Sporting, de Portugal, também praticou o minuto de silêncio antes da partida contra o Arouca, pela Copa da Liga Portuguesa. No entanto, a homenagem foi além do tradicional gesto praticado antes de a bola rolar. No Estádio José Alvalade, os torcedores do clube português levaram faixas de apoio aos jogadores da Chapecoense.
 
 
Torcida do Sporting leva faixas em homenagem à Chapecoense
Foto: Reprodução/Twitter


 O Paris Saint-Germain, dos brasileiros Marquinhos, Maxwell, Lucas, Thiago Silva e Thiago Motta, também fez sua parte nesta quarta-feira. Além do minuto de silêncio na partida contra o Angers, válida pela 15ª rodada do Campeonato Francês, o clube estendeu uma bandeira do Brasil na área técnica, e os torcedores também levaram faixas em homenagem à Chapecoense.
 
Além das homenagens do clube, Edinson Cavani também fez questão de passar sua mensagem ao clube brasileiro. Na etapa final, ao marcar o segundo gol do PSG, o atacante urugaio não ligou de tomar um cartão amarelo: tirou sua camisa e, por baixo, mostrou estava com uma branca, escrito em verde "força", com a sigla da Chapecoense.
 
 
Cavani comemora gol com uma mensagem para a Chape
Foto: AFP / FRANCK FIFE 
 
'Força, Chape', desejaram torcedores do PSG ao clube brasileiro
Foto: Reprodução/Twitter 
 
Bandeira do Brasil é colocada na área técnica do PSG
Foto: Reproduçã/Twitter 
 
Pela Copa da Liga Inglesa, o Arsenal também deu sei jeito para homenagear a equipe catarinense. O atacante espanhol Lucas Pérez e o zagueiro brasileiro Gabriel Paulitas entraram em campo com uma faixa verde escrito: "#ForçaChape", hashtag que ganho as redes sociais após o acidente aéreo na madrugada da última terça-feira.


Lucas Pérez e o brasileiro Gabriel Paulista com faixa para Chapecoense
Foto: Reuters / Stefan Wermuth
 
 
 Torcida do Copenhague estende faixa de apoio à Chapecoense
Foto: Divulgação/Twitter Copenhague
 
 
Fonte: Uol esporte e Globoesporte.com
Compartilhe
Banner

Ítalo Dorneles

Poste um comentário:

0 comments: