slider

Recent

Tecnologia do Blogger.
Navigation

As 7 frases que marcaram a VII Cúpula das Américas

A VII Cúpula das Américas, que contou com a inédita participação de Cuba e promoveu o histórico encontro entre Obama e Raúl Castro pode ser resumida em 7 frases
 
Participação de Cuba na Cúpula das Américas foi exigência de países como Brasil, Uruguai, Argentina, Bolívia, Venezuela e Equador. Na imagem, Raúl Castro cumprimenta Obama (Mandel Ngan/AFP)

 
1. “Obama é um homem honesto”

Em meio ao momento histórico de retomada de relações diplomáticas, o presidente cubano criticou “agressões históricas dos EUA”. Porém, elogiou Obama.

“A paixão me sai pela pele quando se trata da revolução, mas peço desculpas ao presidente Obama porque ele não tem nada a ver com tudo isto. […]Todos (anteriores a Obama) têm dívidas conosco, mas não o presidente Obama”, que “é um homem honesto” e com uma “forma de ser que obedece a sua origem humilde”, comentou.

2. “Não sejamos cínicos”


Cristina Kircner subiu o tom durante a Cúpula das Américas. A presidente argentina pediu que Obama revisse as sanções impostas à Venezuela e a decisão de classificar o país de Nicolás Maduro como “ameaça”.

“Quando escutei a notícia, pensei que era um erro, que se aproxima do ridículo. […] Como se pode conceber que a maior potência do mundo possa considerar a Venezuela uma ameaça?”, criticou.

Sobre a Guerra às Drogas e o Narcotráfico foi enfática. “Onde se lava o dinheiro do narcotráfico? E os bancos desses países? E o financiamento? Não sejamos cínicos”, disse.

3. “Obama parece o chefe de campanha de Maduro”


Evo Morales ironizou as sanções aplicadas pelos EUA à Venezuela. O presidente boliviano criticou EUA e Canadá por terem vetado o parágrafo do documento final da Cúpula das Américas.

“(Obama) parece o chefe de campanha de Maduro […] tudo o que faz serve para o líder venezuelano receber mais apoio”, disse.

4. “Nova independência para América Latina”


Rafael Corrêa também aproveitou a presença de Barack Obama na cúpula para criticar os EUA e pediu uma “segunda e definitiva independência para os latino-americanos”

“EUA continuam com intervenções ilegais. […] Obama, apesar de ter origem humilde, não pode escapar dessa visão hegemônica”, disse.

5. “Não somos anti-americanos, somos anti-imperialistas”


Nicolás Maduro disse que Obama não é como o antecessor, George W. Bush. O presidente venezuelano aproveitou para convidar o norte-americano para o diálogo “franco e aberto” sobre as questões que separam os dois países.

“Estou pronto para falar com o presidente Obama sobre esta questão com o respeito e a sinceridade que merece. Estendo a mão a Obama”, disse ao reiterar disponibilidade para o diálogo. Quero futuro com os Estados Unidos, não somos anti-americanos(…), somos anti-imperialistas, como é a maioria do povo americano”, completou.

6. “Calma”


Dilma Rousseff pediu “calma” com a situação na Venezuela.

“A Venezuela não é nenhuma ameaça para os Estados Unidos. É importante que toda a região tenha tranquilidade e calma em relação à Venezuela, porque se houvesse uma ruptura democrática isso poderia levar a um conflito sangrento e não seria bom para ninguém”.

7. “Nova era”


Barack Obama é o primeiro presidente norte-americano a sentar ao lado de um presidente cubano desde 1958 – quando os dois países romperam relações diplomáticas. Diversos líderes latino-americanos elogiaram Obama pela costura com Cuba. O norte-america disse que o continente está em “uma nova era”.

“É uma reunião histórica […] Agora estamos em condições de avançar no caminho para o futuro”.


Fonte: Pragmatismo Político
Compartilhe
Banner

Ítalo Dorneles

Poste um comentário:

0 comments: