slider

Recent

Tecnologia do Blogger.
Navigation

Descanso semanal em dobro após sete dias consecutivos de trabalho

Um trabalhador da empresa Sankyu S.A vai receber em dobro pelo repouso semanal remunerado concedido somente após o sétimo dia trabalhado. O entendimento, já consolidado na Orientação Jurisprudencial nº 410 da Subseção 1 Especializada em Dissídios Individuais, foi aplicado  pela 5ª Turma do TST, por unanimidade.
 
A ação foi ajuizada por um controlador de operação que descreveu que, durante seis anos, trabalhou na escala de 7 x 1 – sete dias de trabalho para um de descanso – em regime de turno ininterrupto de revezamento.
 
Ele pediu o pagamento em dobro do descanso semanal com reflexos nas verbas trabalhistas, de acordo com o disposto no artigo 7º, inciso XV, da Constituição Federal.
 
A empresa, em sua defesa, sustentou que a escala estava prevista em acordo coletivo firmado com a categoria e era de  7 x 1, 7 x 2 e 7 x 3, em ciclos de 28 dias, sendo 21 dias trabalhados e sete dias de descanso.
 
A empresa Sankyu com matriz e sete filiais no Brasil é também conhecida mundialmente no segmento de prestação de serviços em montagem e manutenção de equipamentos industriais e, também, em serviços logísticos.
 
Por entender que a norma coletiva firmada não era prejudicial ao trabalhador, o TRT  da 2ª Região (SP) reformou a sentença que havia condenado a empresa. Para o TRT paulista,  “a escala permitia ao controlador um número de folgas superior do que se ele folgasse apenas um dia após o sexto dia trabalhado”.
 
O trabalhador recorreu da decisão ao TST insistindo que a conduta da empresa violou a Constituição Federal.
 
Para o relator do processo, desembargador convocado Ronaldo Medeiros de Souza, a decisão do regional contrariou a OJ nº 410 da SDI-1, que prevê o pagamento em dobro quando a concessão de repouso semanal remunerado se der após o sétimo dia consecutivo de trabalho.
 
Conforme o voto do relator, a jurisprudência do TST considera inválida a cláusula de norma coletiva que autorize a concessão do descanso semanal após o sétimo dia de trabalho consecutivo, mesmo em se tratando de escala de trabalho diferenciada. "A norma sobre o descanso semanal está revestida de natureza de ordem pública por se tratar de norma atinente à saúde física e mental do trabalhador", concluiu – o acórdão.  
 
O advogado Manoel Rodrigues Guino atua em nome do reclamante.  (RR nº 261-17.2011.5.02.0254 – com informações da Secretaria de Comunicação Social do TST e da redação do Espaço Vital.


Fonte: Espaço Vital, notícias jurídicas
Compartilhe
Banner

Ítalo Dorneles

Poste um comentário:

0 comments: