slider

Recent

Tecnologia do Blogger.
Navigation

Judeus ou Palestinos? A quem pertence a Terra Prometida


Judeus ou palestinos? A quem pertence a Terra Prometida?

Olá queridos, este post está sendo preparado desde quinta-feira passada, pois foi necessário rever várias passagens nas Escrituras, ler o que judeus, muçulmanos e cristãos falaram sobre o assunto, muita pesquisa para achar os mapas certos e ajuda da minha mãe que sabe quase tudo das Escrituras.

Para falar sobre o direito de posse das terras de Israel e Palestina que é conhecida por muitos como Terra Santa ou mais corretamente A Terra Prometida que mana leite e mel. É preciso ler bastante e pesquisar muito!

Os judeus ou melhor dizendo os hebreus e os palestinos ou melhor dizendo os árabes, são dois povos irmãos pois serem pessoas de origem semita, que vem de Shem, filho de Adão que nasceu após a morte do bondoso Abel e do exílio do homicida Caim.

Para entender melhor vamos voltar uns 6000 anos no tempo pelos menos e relembrar a nossa criação. Em algum lugar entre os rios Eufrates, Tigre, Pisom e Giom no lugar onde hoje fica o Iraque, havia um jardim de rara beleza. Ali foi colocado um casal belo e feliz mas que cometeu um erro gravíssimo ao desobedecer as ordens Divinas, que proibia comer do fruto da Árvore da Vida. Como todos sabem Eva comeu o fruto, deu para Adão comer e se deram mal e foram expulsos do Eden e tiveram que caçar seu rumo e viver ali pela Mesopotâmia. Tiveram muitos filhos e eles se espalharam pelo Oriente Médio ocupando várias terras e dando origem a diversos povos.
 
 
Os filhos de Shem geraram muitos descendentes e os filhos de Caim também. Esta é uma parte controversa da Bíblia que poucos pastores e padres explicam para os fiéis. Muitos não explicam porque realmente não sabem e outros porque acham que o povo não merece saber ou porque seria demais para alguns saber algumas verdades. Mas isto é assunto para um outro post!!

Pois bem passaram se muitos anos desde a criação de Adão e Eva até a multiplicação dos seus filhos e filhas pelas Arabias afora. Sabemos que houve um tempo em que a população perdeu os limites e começaram a fazer tudo que o Criador detestava. Chegando ao momento que Ele se arrependeu de ter colocado o homem no planeta terra. Tava era uma orgia danada, todos os pecados mais nojentos acontecendo inclusive relacionamento entre mulheres humanas e anjos caídos que deram origem aos nefelins ou homens de renome da Antiguidade. Dai é que surgiram as fabulas gregas de Titans, Deuses e Semi-Deuses. Este é outro ponto que é pouquíssimo falado nas igrejas e até que acreditem se que quiser, negado por muitos pastores! Afff ... se o povo soubesse metade da história deste planeta ... seria suicídio em massa. Mas é um assunto que precisa de um post exclusivo.

Como a situação estava feia, Deus escolheu o sumério Noé para construir uma arca de madeira e colocar sua família e pelo menos um casal de cada especie de animal para salvar da eminente destruição pelo grande dilúvio. Pois bem, acreditamos que Noé não foi salvo somente por sua fé e sim porque ainda mantinha DNA não contaminado pela reprodução de seres humanos com seres angelicais. Sim meu amigo, cuidado com a palavra anjo.... porque até o Diabo é um ... caído mas ainda sim um ser angelical!

Todo mundo deve saber a estória que Noé se salvou e depois de 40 dias e 40 noites de chuvas torrenciais castigando a Terra não sobrou um homem  ou nefilim sequer para contar a experiência e somente uma família foi poupada. Os filhos de Noé foram responsáveis pelo repovoamento do mundo e por manter a raiz de Adão viva na Terra.

Em Gênesis Capitulo 10, é narrado quem foram os descendentes de Noé que trouxeram o repovoamento da Terra e alguns nomes são listados e que sugere que sejam nomes de povos ou países da Antiguidade conforme a seguir:


Estas, pois, são as gerações dos filhos de Noé: Sem, Cão e Jafé, aos quais nasceram filhos depois do dilúvio.
2 Os filhos de Jafé: Gomer, Magogue, Madai, Javã, Tubal, Meseque e Tiras.
3 Os filhos de Gomer: Asquenaz, Rifate e Togarma.
4 Os filhos de Javã: Elisá, Társis, Quitim e Dodanim.
5 Por estes foram repartidas as ilhas das nações nas suas terras, cada qual segundo a sua língua, segundo as suas famílias, entre as suas nações.
6 Os filhos de Cão: Cuche, Mizraim, Pute e Canaã.
7 Os filhos de Cuche: Seba, Havilá, Sabtá, Raamá e Sabtecá; e os filhos de Raamá são Sebá e Dedã.
8 Cuche também gerou a Ninrode, o qual foi o primeiro a ser poderoso na terra.
9 Ele era poderoso caçador diante do Senhor; pelo que se diz: Como Ninrode, poderoso caçador diante do Senhor.
10 O princípio do seu reino foi Babel, Ereque, Acade e Calné, na terra de Sinar.
11 Desta mesma terra saiu ele para a Assíria e edificou Nínive, Reobote-Ir, Calá,
12 e Résem entre Nínive e Calá (esta é a grande cidade).
13 Mizraim gerou a Ludim, Anamim, Leabim, Naftuim,
14 Patrusim, Casluim (donde saíram os filisteus) e Caftorim.
15 Canaã gerou a Sidom, seu primogênito, e Hete,
16 e ao jebuseu, o amorreu, o girgaseu,
17 o heveu, o arqueu, o sineu,
18 o arvadeu, o zemareu e o hamateu. Depois se espalharam as famílias dos cananeus.
19 Foi o termo dos cananeus desde Sidom, em direção a Gerar, até Gaza; e daí em direção a Sodoma, Gomorra, Admá e Zeboim, até Lasa.
20 São esses os filhos de Cão segundo as suas famílias, segundo as suas línguas, em suas terras, em suas nações.
21 A Sem, que foi o pai de todos os filhos de Eber e irmão mais velho de Jafé, a ele também nasceram filhos.
22 Os filhos de Sem foram: Elão, Assur, Arfaxade, Lude e Arão.
23 Os filhos de Arão: Uz, Hul, Geter e Más.
24 Arfaxade gerou a Selá; e Selá gerou a Eber.
25 A Eber nasceram dois filhos: o nome de um foi Pelegue, porque nos seus dias foi dividida a terra; e o nome de seu irmão foi Joctã.
26 Joctã gerou a Almodá, Selefe, Hazarmavé, Jerá,
27 Hadorão, Usal, Dicla,
28 Obal, Abimael, Sebá,
29 Ofir, Havilá e Jobabe: todos esses foram filhos de Joctã.
30 E foi a sua habitação desde Messa até Sefar, montanha do oriente.
31 Esses são os filhos de Sem segundo as suas famílias, segundo as suas línguas, em suas terras, segundo as suas nações.
32 Essas são as famílias dos filhos de Noé segundo as suas gerações, em suas nações; e delas foram disseminadas as nações na terra depois do dilúvio.

Estes foram os povos que surgiram no Oriente Médio, Eurásia e Norte da Africa a partir dos filhos de Noé. Para quem tiver curiosidades, alguns historiadores fizeram mapas como estes abaixo sobre quais nações da nossa época correspondem as nações e povos que surgiram no período pós-diluvio.
 
 

Então pelo que vemos em Gênesis e analisando os mapas, vemos que os filhos se espalharam formando nações e povos com sua língua e cultura distinta. Em um dado momento Ninrode resolver reunir todos os povos em uma única língua e nação. Qualquer comparação com tal Nova Ordem Mundial que querem implantar atualmente não é mera coincidência. A construção da Torre de Babel era para alcançar os céus e afrontar a Deus. O Eterno não ficou nada contente e destruiu a torre e espalhou todo mundo de novo e fez confusão das línguas e ninguém se entendia mais e nada de governo centralizado.

Depois depois na cidade Ur na Mesopotâmia morava Abrão, um caldeu temente a Deus e casado com Sarai. Abrão teve sua vida transformada por Deus ao mudar seu nome para Abraão e de sua esposa para Sara. Deus prometeu que a descendência de Abraão iria possuir toda terra por qual ele passasse. Mas tinha um problema que impedia essa promessa de ser cumprida. Sara era estéril e ambos já estavam em idade avançada.

Abraão e Sara deixam a cidade de Ur e passam pelo Iraque, Síria, Palestina e Egito. Abraão viveu muitos anos em Canaã, onde está localizado Israel atualmente. Abraão se manteve fiel e esperava o cumprimentos das promessas. Deus fez um pacto com Abraão e prometeu que sua semente iria possuir as terras que vão desde o Egito ao rio Eufrates (Iraque).
 
 
Sara vendo que não conseguia engravidar ofereceu a serva egípcia Agar para ter um filho com Abraão para que a promessa de que os filhos de Abraão pudessem herdar as terras que o pai percorreu. Agar deu a Abraão Ismail  e isso agradou o velho Abraão que não iria mais morrer sem ser papai. Mas isso transformou a vida da pobre Sara num inferno. Pois como Agar deu um filho para Abraão ficou se achando a rainha do Egito e provocando Sara, dizendo que ela não era mais a preferida e bla bla bla!

Mas Sara não ficou na humilhação de ser desprezada por Abraão, pediu a Deus que lhe desse um filho. Mesmo em idade avançada Sara teve Isaque e alegrou mais ainda a vida do velho Abraão. Quando o pequeno Isaque estava crescendo forte e saudável, Sara ainda com raiva de Agar pediu que Abraão botasse a serva junto com Ismail para fora de casa.

Sara não queria que a serva e por tabela Ismail dividisse a herança com Isaque e ela. A principio Abraão não gostou da ideia, pois Ismail também era seu filho e não queria ficar longe do jovem Ismail. Seguindo as ordens de Deus que Isaque deveria ser sua semente e sua herança e que Ismail por ser seu filho também teria uma nação.

 Agar saiu pelo deserto com o pequeno Ismail portando um jarro de água e pão. Mas não durou muito tempo e Agar se viu sozinha e perdida no deserto sem ter como alimentar e dar água para matar a sede do seu filho. Mas Deus ouviu seu clamor e se compadeceu dela e do filho do seu servo Abraão e um anjo disse a Agar, que Deus faria de Ismail uma grande nação e uma fonte de água brotou do deserto e matou a sede de Ismail e de sua mãe. O menino cresceu e se casou com uma egípcia. A tal fonte mencionada nesta passagem, é a mesma fonte que existe na Arabia Saudita, de onde jorra a água mais pura da Terra, a  água de Zam-Zam que os muçulmanos bebem  quando fazem Hajj.

Outro acontecimento foi a prova que Deus fez com Abraão ao pedir em sacrifício seu filho Isaque. A obediência de Abraão fez Deus se alegrar com ele e claro o pobre do Isaque não foi imolado e sim  um cordeirinho foi providenciado para o sacrifício. Tempos depois Sara morre e Abraão temendo deixar Isaque sem ninguém no mundo já que estava bem velho, manda buscar uma esposa para Isaque. Um servo de Abraão vai buscar uma esposa para Isaque na terra de Ur onde nasceu o velho Abraão, da família de Abraão. O servo traz a bela Rebeca filha de um dos irmãos de Abraão.

Isaque e Rebeca que nunca tinham se encontrado antes, se apaixonam e se casam. Até Abraão se casa de novo mas morre tempos depois. Isaque tem Jacó e Esaú com Rebeca e Ismail também tem filhos e como prometido por Deus os descendentes de Ismail formam um grande nação e ocupam a região do deserto de Sur no Egito e Assur e Havilá na Mesopotâmia (Iraque) próximo as terras onde o seu pai Abraão nasceu conforme o mapa abaixo.
 
 
Até  aqui acompanhamos a trajetória dos pais dos árabes e judeus. Isaque como veremos mais a frente dará origem aos hebreus/judeus e Ismail já deu origem a um povo e nação conforme foi prometido.

Esaú e Jacó

Depois de esperar pela vinda dos herdeiros, já que  a esposa de Isaque, a Rebeca era estéril. Pela graça do Criador, Rebeca ficou gravida dos gêmeos Esaú e Jacó que já quebravam o pau dentro da barriga da mãe para ver quem nasceria primeiro. É que a tradição daquela época dava direitos aos primogênitos receberem uma parte maior na herança do pai. Esaú e Jacó sempre deram trabalho para Isaque antes mesmo de nascerem. E continuaram a aprontar durante toda a vida, a ponto de um vender a primogenitura para o outro.

A razão pela qual Esaú e Jacó brigavam tanto é porque segundo palavras do próprio Deus" Duas nações há no teu ventre, e dois povos se dividirão das suas entranhas, e um povo será mais forte que o outro e o maior servirá ao menor". Aqui na opinião da autora do blog, surgem os árabes e os judeus ... dois povos irmãos que brigam há milênios por causa de uma mesma terra. Acredito que de Jacó surge os hebreus/judeus e de Esaú  e Ismail surge os árabes/palestinos/sírios/jordanianos e talvez os libaneses,os povos do Iraque e Arabia Saudita e Kuwait.

Lembrando que naquelas terras já haviam outros povos morando mas os filhos de Isaque para mim são os pais de árabes e judeus. Eles já brigavam na barriga da mamãe Rebeca e Deus disse que eles iriam fazer disputas entre si!

Lembrando que Esaú nasceu primeiro e Jacó depois. E outra curiosidade é que Jacó nasceu colado no pezinho de Esaú, que lindo .... imagine Isaque mandando um dar beijo no outro e dizer eu te amo depois de brigarem.  Na juventude Estau vendeu seu direito de primogênito por um prato de carne com lentilha que Jacó haviam preparado. Isaque gostava mais de Esaú e Rebeca de Jacó. Jaco e Rebeca enganaram Isaque que estava velho e cego, fazendo Jaco se passar por Esaú e tomar a benção do irmão mais velho. Esaú ficou furioso e ameaçou matar Jacó que teve que fugir e se esconder na casa de um tio.

Aqui os descendentes de Abraão voltam a se cruzar. Isaque e Rebeca não aprovaram o casamento de Esaú com  moças de Canaã e queria que os filhos casassem com mulheres da família de Abraão. Jacó foi buscar uma esposa do lugar onde nasceu o vovô Abraão e Esaú foi buscar outra esposa, adivinha onde? Da família de Ismail, irmão do pai Isaque. Esaú se casou com uma das filhas de Ismail. Mais uma vez fica claro que árabes e judeus são irmãos! Jacó se casa com Lia e Raquel, filhas do seu tio Labão. Até esse momento o sangue de Abraão circula entre seus filhos, netos, sobrinhos e irmãos e com alguma mistura com povos pagãos como fez Esaú ao casar com mulheres de Canaã.

De Jacó nasceu os filhos que deram origem as 12 tribos de Israel conforme foi prometido a Jacó quando ele teve um sonho de uma escada que tocava no céu. Para isso Jacó teria que ser fiel assim como foram o pai Isaque e o avô Abraão.

Os filhos que Jacó teve com Lia e Raquel e que deram origem as tribos de Israel que foram reforçadas após os anos de exilo no Egito. Os filhos foram: Rúben, Simeão, Levi, Judá, Dã, Gade, Naftali, Asser, Issacar, Zebulom, José e Benjamim. A tribo de Levi foi retirada porque os levitas cuidariam dos oficios do templo e a tribo de José também foi retirada. Para compor as 12 tribos foram adicionadas as tribos de Efraim e Manasses.

Esta tribos foram alocadas anos mais tardes no Reino de Judá, no sul e de Israel no norte. O Rei Davi foi quem unificou os reinos de Israel e Judá. Mas isto veremos mais a frente. Lembrando que Davi e Jesus são da tribo de Judá. O simbolo desta tribo é um leão, dai surgiu a expressão Jesus o Leão da Tribo de Judá. Mas o povo hebreu era conhecido como israelita e não israelense como muitos erroneamente pensam que todos os judeus são a mesma coisa. Em outro post falarei sobre os tipos de judeus .... hoje vamos ver como surgirão os árabes e judeus.
 
 
As Escrituras dizem que Esaú reuniu suas mulheres e seus filhos e foram embora para outras terras afim de evitar confrontos com seu irmão Jacó. Segundo consta nas Escrituras, Esaú foi para Edom que ficava no sul de Judá. No lugar que hoje é o sul da Jordânia e as fronteiras com Israel, Arabia Saudita e Egito. Os filhos de Esaú foram príncipes de Edom muito antes de Judá e Israel terem um rei ungido. O primeiro foi Saul e depois Davi e seu filho Salomão o sucedeu. O mapa abaixo mostra os outros reinos próximo a Israel e Judá incluindo Edom, Damasco e o território dos filisteus.


Depois da morte de Jacó os filhos que compõem as tribos vão para o Egito, se multiplicam e acabam cativos e lutam para se libertar até que surge Moisés que guia o povo desde a saída do Egito, a peregrinação no deserto por 40 anos e a volta para Canaã, onde o povo espera pra poder entrar na Terra Prometida que mana leite e mel.

Moisés recebe as Tabuas da Lei mas não entra na terra prometida e morre. Nesta época também são instituído o holocausto, a expiação de pecados, a oferta de manjares, a pascoa judaica, a instrução para alimentação kasher e alimentos proibidos, as instruções de higiene pessoal, a construção da arca da aliança, a composição do templo que possuía o Santo dos Santos, onde somente o sumo sacerdote poderia entrar uma vez por ano e caso tivesse em pecado ele caia duro, mortinho da Silva. Ou seja todas as instruções que os israelitas deveriam seguir para ter uma vida feliz e prospera e também as punições para quem não cumpria os mandamentos e as Leis. Afinal com Moisés foi instituído o tempo da Lei, somente com a vinda de Jesus é que entramos no tempo da Graça.

O povo foi viver na tribos conforme sua ascendência e viveram em acampamentos sobre o governos dos Juizes. Os levitas não contados segundo a tribo dos seus antepassados. Os levitas ficam encarregados do serviços no templo.

Cada tribo eram distribuída em seus acampamentos e identificados pela bandeira da tribo que pertenciam e eram contados somente os homens. Crianças e mulheres ficavam de fora. Viveram sem entrar em Canaã até a morte de Moisés. Depois Deus promete dar aos israelitas as terras que vão do deserto (Sinai) ao Líbano e do Líbano ao Eufrates (Iraque).

Nesta época é que Josué conquista várias terras de Canaã e divide entre as tribos. Os israelitas seguem conquistando terras e derrotando e expulsando ou subjugando outros povos até a unção de Saul como Rei de Israel. Nesta época o reino não estava unificado. A unificação veio com Davi que conquistou mais terras como as dos jebuseus e tornou Jerusalém capital de Israel. A capital de Judá era Hebrom na atual Cisjordânia.
 
 
Os israelitas permaneceram em suas terras durante o período dos Juizes, dos reinados de Saul, Davi e Salomão. Viveram alternados períodos de paz e trégua com os inimigos e de guerras principalmente com os filisteus e sírios até que foram levados cativos para a Babilônia na primeira Diáspora Judaica.

Nesta época viveram Daniel, Ester e outros israelitas que conseguiram vencer a fúria persa e babilônica que desejam eliminar os hebreus da face da terra. Os episódios mais marcantes são Daniel na cova dos leões, os amigos de Daniel que foram colocados em um fornalhas e foram salvos por Jesus, o 4º homem que andava pelas chamas e não permitiu a morte dos amigos de Daniel. Também tem a estória de Esther uma judia que conquistou o coração do Rei persa Assuero e impediu a morte dos judeus que não aceitaram adorar outros deuses e por isso foram condenados a morte.
 
 
Os judeus retornam a Palestina e vivem até a época das Cruzadas onde foram perseguidos e se espalharam pelo mundo, no episodio conhecido como a Segunda Diáspora Judaica. Os judeus expulsos de Israel no ano 70 foram para o Leste Europeu onde viviam os judeus askenazi, para o norte da Africa e Península Ibérica onde viviam os judeus Sepharadim. Mais tarde foram para outras partes da Europa e para as Américas. Na Etiópia existem os judeus negros remanescentes da Rainha de Sabá, que segundo dizem foi casada com Salomão. Outros judeus continuaram no Oriente Médio vivendo na Palestina, Síria e Líbano.

Anos mais tarde com a expansão islâmica pelo Oriente Médio, a Palestina viveu dias de harmonia com a convivência pacifica entre judeus, muçulmanos e cristãos. Isto foi possível graças ao guerreiro curdo Saladino que expulsou os Cruzados da Terra Santa.

Passaram se muitos seculos até chegar o dia que o território de Israel foi criado em 1948 em terras palestinas sem consulta dos mesmos. Tornando uma obsessão sionista que apos mais de 60 anos, ocupar praticamente todo o território palestino, as Colinas de Golã na Síria que permanecem ocupadas, a Península do Sinai que foi devolvida aos egípcios após um acordo de paz.

Antes de discursar acerca dos palestinos vamos, verificar os mapas da Palestina ao logo do tempo. Veja o antes e depois da ocupação israelense ou melhor dizendo sionista.
 
 
Como vocês puderam observar que na criação do Estado de Israel, os palestinos dispunham de 90% das terras situadas na Palestina. Hoje estão confinados na Faixa de Gaza e na Cisjordânia e cada dia mais são diminuídos seus territórios. Quem não conseguiu ficar nas minusculas areas palestinas se exilaram na Síria, Jordânia, Egito, Líbano. Alguns conseguiram ir para os  países dos  Golfo Pérsico como Arabia Saudita, Emirados e Kuwait.

Os palestinos vivem marginalizados pois sequer tem um país, uma nacionalidade, um território definido e muito menos um passaporte. Os palestinos que conheço receberam passaportes de países solidários como Líbano, Jordânia e Síria. Mas este são países mais pobres e já dificuldade para cuidar da própria população. Mas pelo menos na Síria, eles são tratados com mais dignidade. Moram em conjuntos habitacionais como os de Jaramana em Damasco, onde eu inclusive já passei alguns dias durante a minha ultima estada na Síria.

Os meus amigos que nasceram em países mais ricos como Emirados Árabes e Arabia Saudita, sequer recebeu  a nacionalidade e o direito de viver com dignidade. Mas os sheikhs foram mais cruéis e ainda expulsaram todo mundo. E quem recebeu essa galera sem lenço nem documento? Jordânia, Síria e Líbano que deram um passaporte, uma Identidade e um pouco de dignidade a estas pessoas.

Quem são os palestinos?

Os palestinos são árabes que habitavam a Palestina e a maioria deles eram jordanianos, libaneses e sírios. A Palestina nunca teve uma organização em forma de república ou reino como os vizinhos Líbano, Síria , Jordânia, Egito e Arabia Saudita.

Para entender essa dinâmica, precisamos voltar no tempo e ver como eram organizados os países árabes antes da criação de Israel. Até meados de 1950/1960, os países árabes eram colônias européias e não tinham governo independentes. Na verdade eles foram declarando sua independência aos poucos. A Síria por exemplo de livrou do domínio francês em 1946. Vejamos o mapa abaixo que ira dar uma idéia de como eram as coisas lá nas Arabias.
 
 
Como podem ver os países alguns países ainda não eram autônomos quando Israel foi criado. A Palestina, Jordânia, Iraque, Kuwait, Bahrein, Qatar, Emirados, Egito e Sudão eram colonias do Reino Unido. A Palestina não teve tempo de se libertar e se organizar como um  pais livre. Síria e Líbano eram colonias da  França assim como Marrocos (maior parte), Argélia e Tunísia.

Antes do domínio europeu, os países do Oriente Médio foram governados pelo Império Otamano e estavam nas mãos dos turcos. Os palestinos estão há muitos seculos e até milênios ocupando aquelas áreas mais nunca tiveram organizados como país e talvez por isso os sionistas conseguiram ocupar a Palestina mais facilmente. Talvez se fosse tentar ocupar a Síria, onde a população tem uma identidade como sírios há muitos anos seria mais difícil ocupar seu território.

Alem dos palestinos como disse anteriormente, outros árabes como os jordanianos e libaneses, ocupavam a Palestina. E quando Israel se mudou mudou de mala e cuia para a Palestina, muitos árabes se mudaram para os países vizinhos e esperar que os sírios, egípcios e jordanianos recuperassem o território. A Síria e o Egito tentaram diversas vezes expulsar os israelenses e controlar a Palestina. Mas perderam e ainda tiveram uma pequena parte de seus territórios confiscados. O Egito conseguiu o Sinai de volta em um acordo de paz mas a Síria pretende recuperar as Colinas de Golã.

O nome palestino faz algumas pessoas pensarem que os os palestinos na verdade são os filisteus, inimigo maior do povo de Israel. Mas não é verdade, pois os filisteus não eram semitas, eram pagãos e vieram da Ilha de Creta. O nome filisteu foi dado pelos gregos, pois eles ocupavam as terras que vão de Tel Aviv a Faixa de Gaza. O nome palestino vem do árabe filastini, dos habitantes da Palestina bíblica que era apenaS uma pequena faixa de terra e não um território grande como é hoje Israel e os territórios palestinos. Os palestinos são povos árabes e habitam aquelas terras há muitos anos mas sem formação de um governo centralizado através de um rei ou presidente.

Na época de Jesus habitavam tanto judeus como outros povos na Palestina, mas esta se encontrava nas mãos dos romanos que haviam feito algumas divisões em forma de províncias  como Judeia, Samaria, Galileia e outras.
 

Uma coisa é certa palestinos que sempre viveram por aquelas terras tem todo o direito do mundo de morar lá. Assim como os judeus que permaneceram no Oriente Médio tem o direito de morar lá. Os judeus que foram exilados por causa das perseguições do Império Romano e dos Cruzados já se foram há muitos seculos. De fato as Escrituras prometem a posse daquelas terras, mas com um porém  .... desde que se mantivessem fiéis mesmo que no exílio.

As idéias de ocupar novamente as terras palestinas, começaram claro com os judeus sionistas, que seguem os Protocolos dos Sábios de Sião e são responsáveis por quase todo o mal que assola terra. Estes homens não seguem a Torah e sim o Talmud. Estes homens e mulheres são os mesmos fariseus do passado, que vive muma coisa que não são mas a diferença entre judaísmo e sionismo e assunto para outros post.

Depois de analisar todos fatos apresentados juntamente com os mapa. Qual é a sua opinião? Quem por direito deve ocupar a Palestina? A criação do Estado Palestino será suficiente para apagar as marcas deixadas no coração e nos corpos de dois povos irmãos que começaram a brigar ainda no ventre de Rebeca?

Para aqueles que pouco conhecem sobre a dinâmica árabe-israelense, que adora deixar comentários apoiando a morte de palestinos porque acham que é uma luta entre hebreus e filisteus. Saiba que talvez você possa ter uma terrível surpresa ao descobrir que existem palestinos cristãos e que Deus te pedira conta sobre isso no Dia do Julgamento. Antes de julgar algo que não conheça, pesquise e ore pra que as partes possam entrar em acordo. Pois Deus também prometeu a Ismail e Esaú, os pais do árabes que fariam deles grandes nações assim como prometeu a Abraão, Isaque e Jacó .... porque todos são afinal a mesma família!

Não deixe de comentar, mesmo que sua opinião seja diferente ... afinal ninguém é dono da razão! Somente o dialogo e boa vontade e claro um milagre fará judeus e árabes se entenderem ! 
 
 
Salam Waleikum!


Fonte: blog Conexão Arabe
 
Compartilhe
Banner

Ítalo Dorneles

Mudei o meu perfil do blogger. Agora estou utilizando este aqui: https://draft.blogger.com/profile/12182443674733728583

Poste um comentário:

0 comments: