slider

Recent

Tecnologia do Blogger.
Navigation

BM libera e empresa será contratada para instalar gradis na geral da Arena

Foto: Ricardo Duarte / Agencia RBS
Luis Henrique Benfica
luis.benfica@zerohora.com.br | @luishbenfica

Interditado desde 31 de janeiro, o setor que Geral do Grêmio ocupa na Arena estará liberado novamente até junho.

Como pretendiam o clube e Arena Porto-Alegrense, a área contará com barras antiesmagamento, em vez de cadeiras. Porém, como não haverá mais espaço para que os torcedores possam correr entre os gradis, também fica oficialmente decretado o fim da avalanche.

Com a área liberada, retornam ao seu lugar preferido os 8,5 mil torcedores que a interdição havia transferido para os níveis 1 e 4 da Arena. Grêmio e a gestora do estádio concretizam o projeto de oferecer para a torcida um local com preço de ingresso mais acessível. Tanto
Luis Henrique Benfica

luis.benfica@zerohora.com.br | @luishbenfica

Interditado desde 31 de janeiro, o setor que Geral do Grêmio ocupa na Arena estará liberado novamente até junho.

Como pretendiam o clube e Arena Porto-Alegrense, a área contará com barras antiesmagamento, em vez de cadeiras. Porém, como não haverá mais espaço para que os torcedores possam correr entre os gradis, também fica oficialmente decretado o fim da avalanche.

Com a área liberada, retornam ao seu lugar preferido os 8,5 mil torcedores que a interdição havia transferido para os níveis 1 e 4 da Arena. Grêmio e a gestora do estádio concretizam o projeto de oferecer para a torcida um local com preço de ingresso mais acessível. Tanto o ex-presidente do Grêmio, Paulo Odone, quanto o atual, Fábio Koff, sempre se mostraram preocupados em evitar a elitização do estádio. Por fim, ganham os jogadores, que reclamavam do imenso vazio no Setor Norte.  

A Brigada Militar deu prazo de 30 dias para que as barras sejam instaladas. Como se trata de uma obra de demorada execução, com a troca dos atuais gradis por outros mais resistentes, Eduardo Pinto, presidente da Arena Porto-Alegrense, solicitou que este prazo seja prorrogável por mais 30. Por isto, o mais provável é que somente em junho a área volte a ser ocupada.

— Nossa engenharia está achando um pouco difícil executar o cronograma em um mês. Teremos que furar o concreto e aparafusar as barras. Atualmente, elas são chumbadas — explica Pinto.

— Não queremos velocidade na construção, mas, sim, a segurança dos torcedores — deixa claro o comandante geral da BM, coronel Fábio Duarte Fernandes, sem fazer qualquer objeção quanto à prorrogação do prazo.

Como a inclinação do quarto nível da Arena excede um pouco o que é recomendado pelas normas de segurança, este setor também deverá receber uma barra de proteção. Determinação essa que a gestora ainda tentará reverter.

— Mas, se não for possível reverter, vamos instalar — afirma o presidente.

É pouco provável que a volta dos instrumentos musicais, solicitada pela Geral, ocorra até o dia do jogo contra o Santa Fe-COL na próxima quarta-feira. Como se faz necessário o cadastramento dos integrantes das torcidas organizadas junto à Brigada Militar, o tempo seria curto. Além disso, não há um local disponível dentro da Arena que possa abrigar os instrumentos sem prejudicar a visão dos demais torcedores.
o ex-presidente do Grêmio, Paulo Odone, quanto o atual, Fábio Koff, sempre se mostraram preocupados em evitar a elitização do estádio. Por fim, ganham os jogadores, que reclamavam do imenso vazio no Setor Norte.

A Brigada Militar deu prazo de 30 dias para que as barras sejam instaladas. Como se trata de uma obra de demorada execução, com a troca dos atuais gradis por outros mais resistentes, Eduardo Pinto, presidente da Arena Porto-Alegrense, solicitou que este prazo seja prorrogável por mais 30. Por isto, o mais provável é que somente em junho a área volte a ser ocupada.

— Nossa engenharia está achando um pouco difícil executar o cronograma em um mês. Teremos que furar o concreto e aparafusar as barras. Atualmente, elas são chumbadas — explica Pinto.

— Não queremos velocidade na construção, mas, sim, a segurança dos torcedores — deixa claro o comandante geral da BM, coronel Fábio Duarte Fernandes, sem fazer qualquer objeção quanto à prorrogação do prazo.

Como a inclinação do quarto nível da Arena excede um pouco o que é recomendado pelas normas de segurança, este setor também deverá receber uma barra de proteção. Determinação essa que a gestora ainda tentará reverter.

— Mas, se não for possível reverter, vamos instalar — afirma o presidente.

É pouco provável que a volta dos instrumentos musicais, solicitada pela Geral, ocorra até o dia do jogo contra o Santa Fe-COL na próxima quarta-feira. Como se faz necessário o cadastramento dos integrantes das torcidas organizadas junto à Brigada Militar, o tempo seria curto. Além disso, não há um local disponível dentro da Arena que possa abrigar os instrumentos sem prejudicar a visão dos demais torcedores.


Fonte: ZeroHora Esportes
Compartilhe
Banner

Ítalo Dorneles

Mudei o meu perfil do blogger. Agora estou utilizando este aqui: https://draft.blogger.com/profile/12182443674733728583

Poste um comentário:

0 comments: