slider

Recent

Tecnologia do Blogger.
Navigation

Jovens amigos formam a nova 'gurizaga' do Grêmio

Em 2005 o volante Fernando abriu no Estádio Olímpico as portas para uma turma de garotos nascidos em Erechim. Dois anos depois, foi a vez de Neuton e Saimon percorrerem os mais de 370 quilômetros que separam o município do norte gaúcho e Porto Alegre. Formava-se no Grêmio uma pequena família de conterrâneos, amigos, quase irmãos.

Desde então, esta espécie de embaixada de Erechim constituída nas categorias de base do clube da capital se tornou cada vez mais unida. Praticamente juntos, os três ascenderam ao grupo profissional. E hoje integram, com Mário Fernandes ao lado, a maior parte do sistema defensivo da equipe titular.


Fernando, Saimon, Neuton e Mário: três 'irmãos' e um 'adotado' (Foto: Eduardo Cecconi / Globoesporte.com)


A gurizada de Erechim tomou conta da zaga do Grêmio. É a 'gurizaga'. Saimon ao lado de Rafael Marques, Neuton na lateral-esquerda, e Fernando protegendo o volante Fábio Rochemback no meio-campo. E tem ainda Mário Fernandes, jogador que em 2009 chegou egresso de São Caetano do Sul.

Com ele, o trio transformou-se em quarteto. A família de Erechim adotou o estrangeiro do interior paulista. É natural, neste contexto, que todos sintam-se à vontade para as implicâncias típicas daqueles amigos mais íntimos.

- Eles são uns 'colonos' (risos). Fui eu que aceitei eles (mais risos) - alega Mário Fernandes, em defesa própria.

A contestação é imediata, e parte de Neuton, o mais comunicativo do grupo de jovens:

- A gente adotou o Mário Fernandes sim.

Várias coincidências uniram o grupo. Mais jovem, Fernando conhecia Neuton e Saimon dos campeonatos do Colégio Medianeira, em Erechim. Com 13 anos entrou na base gremista, retornando à cidade natal nos finais de semana, quando reencontrava os parceiros das confusões típicas de adolescentes.

- A gente sempre estudou junto. Nos finais de semana eu revia eles.

Ver Fernando em um grande clube serviu de estímulo aos demais. Gremista desde sempre, Neuton alimentava o sonho de juntar-se ao amigo mais novo. Depois de atuar até como goleiro do time de futsal da Sercesa, de Carazinho, com 15 anos vestiu a camisa de juvenil do Ypiranga de Erechim, clube da primeira divisão. Após dois anos foi contratado pelo Grêmio, apesar de um pequeno percalço: assim que chegou, fugiu de volta.

- Eu vim uns dias antes, mas nunca tinha saído de Erechim, e não consegui me adaptar. Mas poucos dias depois o Saimon veio, e isso me ajudou a pensar melhor. Eu teria a ajuda dele. Foi muito bom. Aí eu voltei - lembra.

Saimon destacava-se como pivô, no futsal do clube APFC. Ao contrário de Neuton, que idealizava esta oportunidade no Grêmio, para ele as coisas aconteceram sem ensaios. Chamado para fazer um teste em Porto Alegre, foi aprovado e ficou:

- Eu nunca procurei, nem imaginei que seria assim. Até os 16 anos sempre joguei futsal.

Para Mário Fernandes o grupo de Erechim também serviu à melhor adaptação ao futebol profissional. Assim que trocou o São Caetano pelo Grêmio ele fugiu, durante um mês permaneceu na cidade natal. Resolvido o problema particular, foi reintegrado direto para o grupo principal. Tímido, encontrou em Neuton, Saimon e Fernando o suporte necessário.

- Isso é muito bom, a gente começou a se conhecer melhor, eles me ajudaram bastante.

Hoje, cada um mora em um lugar diferente. O que não impede a permanência do vínculo. Neuton, Saimon, Fernando e Mário Fernandes estão sempre juntos no Olímpico, ou fora dele. Saem para jantar, assistem a filmes no cinema, jogam videogame e curtem música - Neuton é o violeiro, embora ninguém aponte o cantor mais afinado do quarteto.

Promovidos à titularidade recentemente, eles curtem o bom momento. Uma lesão de Gabriel permitiu a Mário Fernandes conquistar sequência improvisado na lateral-direita. O mesmo aconteceu com Saimon, substituto de Rodolfo, que passou por cirurgia na perna esquerda. Neuton ingressou na lateral com a lesão de Bruno Collaço e o empréstimo de Gilson ao América-MG. E Fernando está no time desde que Adilson foi para o departamento médico.

Novamente, uma série de coincidências une os amigos. A família de jovens defende o gol de Victor, e esta 'gurizaga' aproveita-se do bom entrosamento também em campo.

- A gente se conhece melhor, e por este convívio próximo a gente pode até mesmo se cobrar mais. É uma cobrança sadia, só de olhar a gente se entende - afirmou Neuton.

Com a 'gurizaga' no time titular, o Grêmio venceu as duas últimas partidas pelo Campeonato Brasileiro, e sem sofrer gols. Desempenho elogiado pelo técnico Renato Gaúcho.

- A gente vem jogando com uma linha de quatro forte ali atrás, são quatro zagueiros de origem, fortes na bola aérea, e eles estão dando conta do recado.

Informações do Globoesporte.com 
Compartilhe
Banner

Ítalo Dorneles

Mudei o meu perfil do blogger. Agora estou utilizando este aqui: https://draft.blogger.com/profile/12182443674733728583

Poste um comentário:

0 comments: