slider

Recent

Tecnologia do Blogger.
Navigation

"Não adianta empurrar, empurrado eu não vou", diz Aécio sobre vice de Serra

Em meio à pressão de partidos de oposição para lançar o seu nome à vice-presidência da República na chapa do governador José Serra (PSDB-SP), o governador Aécio Neves (PSDB-MG) disse nesta quarta-feira que não vai "empurrado" atender aos apelos dos oposicionistas. Lembrando uma frase do avô, o ex-presidente Tancredo Neves, Aécio demonstrou não ser suscetível a pressões para integrar a chapa "puro-sangue" com Serra.

"Não adianta empurrar, empurrado eu não vou", disse. Aécio disse que a frase foi usada por Tancredo em 1985, quando foi pressionado pelo então deputado João Amazonas para assumir "posições radicais" para a época. "O Tancredo respondeu com a frase. Então, vou repetir Tancredo: não adiante empurrar, empurrado eu não vou."

Aécio disse que o seu momento como pré-candidato do PSDB ao Palácio do Planalto terminou em dezembro, por isso cabe ao comando do partido o "controle" sobre a escolha do nome que vai representar o partido em outubro.

"No momento que eu deixo a disputa interna do partido, eu saio do controle desse jogo. Eu hoje estou buscando conduzir as coisas em Minas Gerais e, a partir de Minas, eu vou dar todo o meu empenho, todo o meu esforço, para ajudar na vitória ao nosso candidato. Agora, a condução do processo, daqui por diante, como é, isso está a cargo da direção do partido, dos líderes e daquele que será candidato do partido", afirmou.

Aécio desconversou ao ser questionado, no Congresso, se o seu nome é mais "agregador" dentro do PSDB do que o de Serra. "Nem tem nem comparação. Eu vivi grande parte da minha vida no Parlamento. Estava revendo amigos de vários partidos, as amizades não têm fronteira partidária. Estou aqui [no Congresso] muito mais como representante da família do Tancredo do que outra coisa."

O governador afirmou que o seu "momento como pré-candidato do PSDB à Presidência da República" terminou em dezembro --quando abriu mão de disputar o Palácio do Planalto. "Eu sou candidato ao Senado."

Aécio participou hoje de sessão solene no plenário do Congresso pelo centenário de seu avô, Tancredo Neves. Serra também participou da homenagem, assim como os pré-candidatos ao Palácio do Planalto Ciro Gomes (PSB) e Marina Silva (PV).

Silêncio

Ao contrário de Aécio, Serra evitou comentar a possibilidade de disputar o Palácio do Planalto. "Eu vim hoje aqui participar deu ma homenagem ao nosso grande Tancredo Neves. Questão de eleição, a gente trata em um outro momento", afirmou.

No seu discurso durante a cerimônia, Serra disse que o PT se tornou um dos principais beneficiários de políticas adotadas por governos passados --especialmente o do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

Ao fazer um histórico da nova República no Brasil, o governador disse que, por "paradoxal" que seja, os petistas herdaram conquistas da transição democrática do país e de medidas adotadas por FHC.

"O PT acabou por ser, por paradoxal que pareça, um dos principais beneficiários da eleição do primeiro presidente civil e das conquistas sociais e culturais da Constituição e soube, posteriormente, colher bons frutos de mudanças institucionais e práticas, como o Plano Real, o Proer [extinto programa de estímulo ao sistema financeiro nacional] e da Lei de Responsabilidade Fiscal", afirmou.

da Folha Online.

Compartilhe
Banner

Ítalo Dorneles

Mudei o meu perfil do blogger. Agora estou utilizando este aqui: https://draft.blogger.com/profile/12182443674733728583

Poste um comentário:

0 comments: