slider

Recent

Tecnologia do Blogger.
Navigation

Inter leva o primeiro GREnal do ano

Um estádio dividido, dois times que se equivalem, e um atacante com porder de decisão. No primeiro Gre-Nal da temporada, o de número 379 da história, tudo se encaminhava para um empate sem gols, mas Alecsandro não deixou. Pela quinta rodada do primeiro turno do Gauchão, o camisa 9 deu a vitória ao Colorado, por 1 a 0, no primeiro clássico do ano. Resultado que serve de combustível para o trabalho que está apenas no começo e tem como principal objetivo a conquista da Libertadores. A cidade de Erechim, que durante o fim de semana se viu entre duas cores, terminou o domingo colorida de vermelho.

Do lado tricolor, frustração. Apesar do bom desempenho na partida disputada no estádio Colosso da Lagoa, o time perde a invencibilidade sob o comando do técnico Silas. Precisa cuidar para não deixar a derrota desarrumar a casa. Ainda tem muito pela frente.

O Inter é o vice-líder do Grupo 2, tem 13 pontos, e perde no saldo de gols para o São Luiz (10 a 9). O Grêmio tem dez e continua em primeiro no Grupo 1. Na próxima rodada, quarta-feira, o Tricolor recebe o São Luiz, às 17h, no estádio Olímpico. Às 22h, o Colorado visita o Novo Hamburgo.

Confira a classificação e a tabela completa do Campeonato

Confronto intenso, placar em branco

Silas teve peito ao montar o time que começou o Gre-Nal. E também causou surpresa. Hugo, uma das principais contratações do clube, foi parar no banco de reservas. Culpa do excesso de gols sofridos nas quatro primeiras rodadas: seis no total. De renegado a herói, Joílson foi titular de cara na ala direita. Logo ele que estava fora dos planos da diretoria. Era o antídoto para frear Kleber. Na esquerda, Fábio Santos, que anda em baixa com a torcida, deu lugar a Lúcio. Vai ser difícil voltar. Incansável no apoio, disposto no desarme, fez Nei correr o dobro. Se tivesse cabelos, o lateral-direito colorado perderia um bocado.

Fossati preferiu não mudar a base. Contentou-se em lançar Giuliano no lugar de D’Alessandro, que se recupera de cirurgia no rosto. Gre-Nal não é momento de arriscar muito, mesmo que seja o primeiro do ano, numa temporada que começou há pouco.

Com as duas equipes no 3-5-2, das laterais surgiram melhores momentos do clássico. Impetuoso, o Tricolor investiu na pressão. Pela direita, pela esquerda, com bolas alçadas na área. Faltava acertar o pé. Lauro quase sempre defendia com facilidade.

Uma série de chances claras de gol foram criadas. As melhores do Inter. Aos seis, Giuliano abriu o placar em chute de dentro da área, mas a arbitragem anulou corretamente. O garoto dominou com a mão antes de arriscar. Índio e Nei colocaram à prova o status de goleiro de seleção brasileira de Victor. Em duas cabeçadas muito perigosas, o camisa 1 foi muralha, aos 14 e aos 24. Ele quer ir à Copa.

Taison ficou duas vezes no quase. Isso sem falar da batalha que travou com o zagueiro Mário Fernandes nas investidas pela esquerda. Quando se viu livre, chegou atrasado para cabecear uma bola que partiu de um escanteio, aos 13, e teve o zagueiro Rafael Marques pelo caminho. Aos 22, num chute de fora da área, o defensor salvou quase sobre a linha. Victor estava batido desta vez.

Os rivais oscilaram no primeiro tempo. Inter mais organizado, Grêmio cheio de vontade. Numa das tentativas, Borges chutou da entrada da área, e Lauro pegou, aos 29. Três minutos depois, o vibrante Lúcio passou por Nei numa linda jogada, viu Jonas pedir bola de frente para o gol, mas o chute foi muito alto. Zero a zero justo no Colosso da Lagoa.

Alecsandro decide o primeiro clássico do ano

Gre-Nal sem rusgas não é Gre-Nal. Índio e Borges gastaram boa parte do tempo com troca de “gentilezas”, mas ficou só na catimba. Técnicos estreantes no clássico, Fossati e Silas também duelaram. Não dava para saber quem gesticulava mais na área técnica. O ritmo intenso da etapa inicial se manteve. Só que parecia mais difícil criar jogadas. Virou uma partida travada, apesar da correria.

Foi na base da velocidade que Taison fez ótimo passe para Alecsandro, aos cinco minutos. Ele fez fila pela esquerda, foi à linha de fundo e cruzou certinho, rasteiro. Não fosse um carrinho preciso do goleiro Victor, o centroavante guardaria.

Os treinadores decidiram mudar a partir dos 15 minutos. Silas tirou Jonas para a entrada de Hugo, que teria de ficar mais adiantado e não deixar Borges tão solitário. A torcida queria ver o meia em ação, e o atacante não teve uma boa jornada. O camisa 7 não gostou de sair e preferiu o silêncio. Taison também não falou quando foi substituído por Edu, no Inter. A mudança de Silas não surtiu efeito. Hugo, sonolento, pouco tocou na bola. Quando tinha o domínio, era facilmente desarmado. Fossati decidiu mudar mais uma vez. Giuliano deu lugar a Andrezinho. Número 10 nas costas, e muitos aplausos da torcida que pedia a entrada dele há algum tempo.

O Tricolor começou a se complicar a partir dos 30 minutos. Numa dividida com dois colorados, Souza torceu o joelho esquerdo e teve de sair de campo. O Inter aproveitou a vantagem numérica momentânea da melhor forma possível. Aos 34, Edu foi lançado na direira, partiu em velocidade, ganhou a jogada entre dois zagueiros, e a bola ficou com Alecsandro na entrada da área. O chute seco, no canto esquerdo de Victor, morreu na rede. Primeiro gol do atacante em Gre-Nal. Na comemoração, tiros do "matador".

Após o lance do gol, uma confusão incrível da comissão técnica do Grêmio. Sem saber que Souza não voltaria, Silas tirou o volante Adilson e lançou o meia Maylson. O time dele continuava com dez jogadores. Teve de mudar outra vez. Fernando entrou, com atraso, na vaga do meia.

Na base do desespero, o time do estádio Olímpico quase conseguiu o empate nos acréscimos. O chute de Maylson parou na trave de forma caprichosa, lenta, quase angustiante. O Inter não perde um clássico no Gauchão desde 2001. São 12 partidas no total.

Ficha técnica:
Inter: Lauro; Bolívar, Índio e Fabiano Eller; Nei (Bruno Silva), Guiñazu, Sandro, Giuliano (Andrezinho) e Kleber; Taison (Edu) e Alecsandro.
Técnico: Jorge Fossati.
Grêmio: Victor; Maurício, Rafael Marques e Mário Fernandes; Joílson, Ferdinando, Adilson (Maylson), Souza e Lúcio; Jonas (Hugo) e Borges.
Técnico: Silas

Gols: Alecsandro, aos 34 do segundo tempo.

Cartões amarelos: Nei, Sandro e Guiñazu (Inter).

Estádio: Colosso da Logoa, Erechim/RS. Data: 31/01/2010. Árbitro: Leandro Vuaden (Fifa/RS). Auxiliares: Altemir Hausmann e Marcelo Oliveira.

Veja o gol do jogo:



Todas as informações e vídeo são do Globoesporte.com
Compartilhe
Banner

Ítalo Dorneles

Mudei o meu perfil do blogger. Agora estou utilizando este aqui: https://draft.blogger.com/profile/12182443674733728583

Poste um comentário:

0 comments: