slider

Recent

Tecnologia do Blogger.
Navigation

Chuvas e ventos tiram 16 mil de casa no Sul e deixam 66 cidades em emergência

O número de desalojados e desabrigados em razão dos temporais, chuvas de granizo e vendavais que atingiram o Sul do país no último final de semana continua a subir e já soma 16.014 pessoas nos três Estados da região, segundo dados das defesas civis estaduais. O número de cidades em situação de emergência, por conta dos fenômenos climáticos dos últimos dias, subiu para 66 na manhã desta quarta-feira (30).

Segundo o Centro de Informações Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina (Ciram), a chuva forte dará uma trégua hoje durante o dia. À noite, porém, a instabilidade se intensifica e pode ocorrer chuva moderada a forte.

O tempo começa a firmar na tarde de sexta-feira, mas no domingo a previsão é de chuva forte - que pode superar a média do mês em alguns municípios -, com possibilidade de granizo e vendavais, no período da noite, entre o norte do RS e o sul de SC.

Em Santa Catarina há 2.248 desabrigados - pessoas que tiveram que abandonar suas casas e foram abrigadas em locais públicos - e 8.711 desalojados - atingidos que se acomodaram em casas de amigos e parentes. No Estado, 94.997 pessoas sofreram algum tipo de prejuízo por conta das ações do clima. Foi decretada situação de emergência em 39 municípios.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, está interditado um trecho da BR-116 no km 108, na serra do Espigão, em Monte Castelo, devido a deslizamento de barreira. Não há desvio no local, nem previsão de abertura da pista.

Entre o km 71 e o km 72 da SC-466, que liga Santa Catarina ao Rio Grande do Sul, houve um afundamento do asfalto com deslizamento e rachaduras da pista, segundo a Defesa Civil. O trânsito de veículos foi desviado para o centro da cidade de Itá. Não há previsão para o fim da recuperação da pista, nem para a liberação trânsito no local.

Na SC-430, na altura dos km 46 e km 51, trânsito é realizado em meia pista no sentido Urubici-São Joaquim, devido à queda de barreira. Na SC-450, na altura do km 35, há uma lâmina de água de aproximadamente 15 cm de altura e com uma extensão de 70 m.

A Defesa Civil de Santa Catarina alerta a população que mora em regiões de risco a ficar atenta a possíveis movimentações de rochas, árvores e terra, sobretudo em regiões de encosta. Caso haja alguma anormalidade, o Defesa Civil deve ser contactada no (48)3244-0600 ou o Corpo de Bombeiros pelo 193.

Mortes

Ontem, a Defesa Civil de Santa Catarina confirmou a morte de um homem de 30 anos. Clóvis Roberto Belin, 30, atravessava uma ponte alagada com seu carro e foi arrastado pela correnteza nessa segunda-feira (28), em Campo Belo do Sul. Bombeiros de Lages foram acionados, mas localizaram Belin já sem vida.

Com esta morte, já são três óbitos confirmados na região Sul nos últimos dias. Ontem de madrugada, um homem de 44 anos morreu depois de se recusar a deixar uma área de risco em Taquara, no Rio Grande do Sul. No domingo, na serra gaúcha, um homem morreu dentro de seu carro quando o mesmo foi arrastado pelas águas num acesso secundário à cascata do Caracol, em Canela.

Dois homens que foram arrastados pela correnteza da barragem do Salto, que transbordou, continuam desaparecidos. Eles sumiram no domingo (27) depois que se refugiaram sobre a cabine do caminhão em que trafegavam no limite entre as cidades de Canela e São Francisco de Paula.

O Rio Grande do Sul contabiliza 3.600 desalojados, 1.118 desabrigados e 45.630 afetados pelas chuvas e ventos. Os fenômenos dos últimos dias deixaram 19 municípios em situação de emergência, elevando para 44 o número de cidades com esse status - as outras foram atingidas por intempéries em outras semanas.

Há dois dias não chove com intensidade no Rio Grande do Sul. No entanto, a Defesa Civil alerta os moradores de áreas de risco para a previsão de retorno das chuvas hoje no Estado. O nível dos rios ainda deve subir nas próximas horas como efeito do escoamento das águas de afluentes em direção ao Vale do Caí e Vale do Taquari, explicou o chefe da comunicação social da Defesa Civil, capitão Alexsandro Goi.

Paraná

A situação do Paraná é menos grave, se comparada aos outros Estados da região Sul. Os temporais afetaram diretamente 3.170 pessoas em 27 municípios paranaenses. Há no Estado 247 desalojados e 20 desabrigados. Ao menos 902 casas sofreram algum tipo de dano.

Segundo a Defesa Civil do Paraná, estão em situação de emergência os municípios de Bituruna, General Carneiro, Marmeleiro, Pinhal de São Bento, Pranchita, Prudentópolis, Renascença, e Santo Antônio do Sudoeste.

Com informações de Flávio Ilha, do UOL Notícias no Rio Grande do Sul, e da Agência Estado.
Compartilhe
Banner

Ítalo Dorneles

Mudei o meu perfil do blogger. Agora estou utilizando este aqui: https://draft.blogger.com/profile/12182443674733728583

Poste um comentário:

0 comments: