sábado, 7 de junho de 2008

O governo Yeda Crusius é uma vergonha

O governo Yeda Crusius é uma vergonha para o Estado do Rio Grande do Sul. A inacreditável sucessão de escândalos e denúncias a que o povo gaúcho assiste nos últimos meses revela um governo fraco moral e politicamente.
É um governo onde a governadora não fala com o vice-governador.
É um governo onde o chefe da Casa Civil tenta comprar a posição do vice-governador.
É um governo onde o vice-governador grava uma conversa com o chefe da Casa Civil para denunciá-lo.
É um governo onde o chefe da Casa Civil chama o vice de canalha e mau-caráter.
É um governo onde aliados da governadora a chamam de sem-vergonha. E nada acontece.
É um governo onde secretários de Estado negociam, combinam festas e tomam chopp com acusados de integrar uma quadrilha que roubou mais de R$ 40 milhões dos cofres públicos.
É um governo onde os partidos de sustentação da governadora, nas palavras do chefe da Casa Civil, utilizam empresas públicas para financiar campanhas eleitorais e para comprar maioria no Parlamento.
É um governo que, diante de graves denúncias de corrupção, com provas materiais eloqüentes, emudece, se esconde e, através de seu patético porta-voz, afirma não existirem fatos relevantes.
É um governo onde a governadora foge da imprensa e do povo.
É um governo onde a governadora não tem coragem de prestar contas sobre seus atos e de seus aliados, mas tem coragem de fechar escolas, demitir funcionários públicos e mandar a polícia bater em manifestantes.
É um governo que privatiza o meio ambiente e hipoteca o futuro.
É um governo onde seus aliados e padrinhos (como o inacreditável senador Pedro Simon, que foi incapaz de pronunciar uma palavra sobre todos esses escândalos) não tem mais coragem de defendê-lo e abandonam o navio em número cada vez maior.
É um governo cujo modus vivendi é a dissimulação e a covardia.
É um governo que chegou ao fim.

Fonte: Blog RS Urgente!

sexta-feira, 6 de junho de 2008

Nota do vice-governador

NOTA DO VICE-GOVERNADOR

Porto Alegre, sábado, 07 de junho de 2008


Venho a público, por respeito à sociedade, me manifestar sobre os recentes fatos noticiados em nosso Estado.

Entrei na vida pública motivado pela idéia de que era possível melhorar o nosso estado e fazer boa política.

O tema abordado pelo secretário chefe da Casa Civil César Busatto na conversa que tivemos e assumindo que as afirmativas feitas por ele são verdadeiras, é uma tentativa clara de me convencer de que não existe outra forma de fazer política, numa clara demonstração de privatização do que é público em nome de terceiros, para fins escusos. Isto é inaceitável sobre todos os pontos de vista, principalmente em um estado onde o governo passa por dificuldades financeiras sérias, inclusive sem recursos para investir no que é básico, sacrificando a sociedade de forma injustificável.

Sofri forte assédio moral para me manter calado e para que me adaptasse a um sistema que aos olhos de todos os gaúchos de bem é imoral e insustentável. Mas nunca estive e não estou disposto a abrir mão das minhas convicções e do meu idealismo para corroborar com o que me foi apresentado.

Afirmo que minha postura continuará sendo esta em respeito a população deste estado que muito me orgulha.


Paulo Afonso Feijó

Vice-governador do Estado do Rio Grande do Sul


Fonte: Blog da Rasane Oliveira, junto ao ClicRBS.

Grêmio tem melhor média de pública do Brasileiro

Jovem promessa pode ser promovido

Douglas Costa, 17 anos, o garoto gaúcho que é pretendido por grandes clubes europeus, terá vida curta nos juniores do Grêmio. Não que sua venda já esteja agendada. O Tricolor quer antecipar sua promoção ao grupo principal, para que ele apresse sua formação. Em vez de janeiro de 2009, isso deverá acontecer no próximo semestre.
- O desempenho dele na Copa FGF, a partir de julho, deverá servir de parâmetro - revela o diretor-executivo do departamento de futebol do Grêmio, Rodrigo Caetano.
O armador Douglas Costa, um canhoto habilidoso e veloz, que costuma deixar os companheiros na cara do gol, é presença constante em seleções brasileiras de base - o que explica as especulações de sites europeus sobre a cobiça de grandes clubes do continente.

Nesta quarta-feira, Douglas voltou a encantar dirigentes e torcedores que foram ver Grêmio 5 x 1 Cerâmica, pelo campeonato gaúcho de juniores, no CT de Eldorado do Sul. Modesto, o meia saiu achando que poderia ter atuado melhor.
- Faltaram os gols – avalia.
O treinador dos juniores, Julio Camargo, valoriza esse aspecto da personalidade do garoto.
- Ele ainda está sendo lapidado. Mas o interesse em aprender facilita seu crescimento - diz Camargo.
A multa rescisória para o exterior é de 8 milhões de euros e, para o Brasil, de R$ 15 milhões.

Fonte: GloboEsporte.com

Imprensa reflete gravidade do escândalo e fragilidade do governo Yeda

Diante dos poucos integrantes da base aliada que permaneceram no plenário da Assembléia Legislativa nesta quinta-feira (5), o deputado Elvino Bohn Gass leu as manchetes dos principais jornais gaúchos sobre as gravações efetuadas pela Operação Rodin e tornadas públicas pela CPI do Detran na tarde desta quarta-feira(4). “A imprensa gaúcha espelha uma reação uníssona da sociedade gaúcha de estarrecimento diante de fatos graves e incontestáveis e revela a fragilidade do governo Yeda”, avaliou.
Ninguém da base governista rebateu o discurso do deputado do PT, que também leu a repercussão do conteúdo das gravações nos blogs. Todos os sites avaliam que o momento é crítico para o governo tucano, cujas estruturas foram seriamente abaladas pelo escândalo. No plenário, os aliados reproduziram o comportamento do Palácio Piratini, que optou por permanecer em silêncio como grande parte dos depoentes que circularam pela CPI do Detran nos últimos três meses.
Na tribuna, Bohn Gass afirmou que o silêncio do governo sobre o conteúdo estarrecedor das gravações de ligações telefônicas entre envolvidos na fraude do Detran é desrespeitoso e ofensivo à sociedade gaúcha. “O governo deve uma explicação ao Rio Grande do Sul, afinal, as gravações mostram que a corrupção chegou ao centro do poder. Hoje, o que todos querem saber é que providências serão tomadas pela governadora em relação ao secretário Delson Martini que, como revelam os áudios, orientava procedimentos do esquema fraudulento”, cobrou.

Manchetes dos principais jornais gaúchos

Diário de Santa Maria
"O Rio Grande escandalizado"
Jornal do Comércio
"Divulgação de escutas escancara fraude"
Correio do Povo
"Vozes do Detran agitam governo - O conteúdo explosivo dos 34 áudios divulgados ontem na CPI provocou reviravolta. Praticamente, todos os que não se calaram, mentiram."
Diário Gaúcho
"Gravações relevadoras. CPI revela escutas da fraude"
Jornal NH (Novo Hamburgo)
"Gravações da Polícia Federal esquentam a CPI do Detran – Pagamentos e beneficiados eram combinados com naturalidade"
Site Vide Versus
"Gravações de telefonemas mostram a desclassificação de grandes nomes da política gaúcha"
O Sul
"Ex-presidente do Detran flagrado negociando propina em gravações feitas pela PF"
Zero Hora
"Escutas convencem CPI a convocar o secretário de Governo de Yeda"
Página 10 – coluna política de Zero Hora – Rosane Oliveira
"Mentiras, mentiras, mentiras" (A dúvida da página 10 é se Delson Martini cai antes ou depois do depoimento na CPI)
Pioneiro (Caxias do Sul)
"Gravações citam Delson – O escudo político que protegia o secretário-geral de Governo, Delson Martini, não resistiu à força das escutas telefônicas da Operação Rodin"
Blog do Gaúcha Hoje (Rádio Gaúcha)
"A revelação das escutas feitas pela Polícia Federal teve impacto muito forte"
Rádio Guaíba – comentarista Gustavo Motta
"Mas se a casa não caiu, ninguém pode ser cego a ponto de não enxergar que, do ponto de vista político, as estruturas ficaram seriamente avariadas"
RBS TV – comentarista Lasier Martins
"Há prostração no governo que está abatido, suspeito na sua credibilidade e necessitado a dar explicações porque vários de seus integrantes vinham traindo a finalidade do Estado, adonando-se da coisa pública, explorando o dinheiro do Detran. Vive-se um momento revoltante, principalmente pelo envolvimento de gente que parecia ilustre, e não era. E por isso, precisa ser punida e afastada. Para um pouco mais de limpeza na política e na gestão pública do Estado."
Gazeta do Sul (Santa Cruz do Sul)
"Gravações deixam governo gaúcho na defensiva"
Beatriz Fagundes (colunista de O Sul)
"Os intestinos do esquema foram expostos e causaram espanto e repúdio devido à sordidez, desfaçatez e arrogância dos envolvidos. Todos mentiram na CPI"
Newsletter Políbio Braga
"A roubalheira do Detran foi exposta ao vivo de forma devastadora. A CPI aproximou-se ameaçadoramente do gabinete da governadora Yeda Crusius"


Fonte: PTSul. Por Olga Arnt.

quinta-feira, 5 de junho de 2008

CPI do Detran "pega fogo"

CPI do Detran - Organograma

Organograma

Para Bohn Gass, ficou evidenciado que era Martini o responsável por decidir a disputa que estava ocorrendo entre duas facções da fraude, uma ligada a Lair Ferst e Chico Fraga e outra ligada a Vaz Neto e Maciel. Valendo-se de um organograma, Bohn Gass demonstrou o papel que era ocupado pelo secretário de governo no esquema, de árbitro das disputas. Para o deputado petista, os áudios explicitam, também, que a governadora sabia de tudo e determinou o que fazer através de seu homem de confiança, Delson Martini. “Os áudios não deixam dúvidas do envolvimento do centro do governo. O que vi aqui foi o desmoronar de um governo inteiro. A casa caiu!”, declarou.

A deputada Stela Farias (PT) também manifestou sua revolta com as evidências tornadas públicas pela CPI. “Fomos desrespeitados por homens e mulheres que posaram aqui de inocentes”, disse. Stela entende que os áudios são instrumentos da CPI para a identificação do grau de comprometimento e responsabilidade de cada um dos agentes envolvidos na fraude. Para ela, a publicização dessas provas reforça o trabalho sério realizado pela CPI. “Tenho muita convicção de que estamos cumprindo, com esta investigação, um papel importante para os gaúchos. Vamos aproveitar o tempo que nos resta e aprofundar ainda mais os trabalhos para chegar nos responsáveis políticos por esta fraude”, concluiu.

A CPI realiza nova audiência pública nesta quinta-feira (5), a partir das 18h, no Plenarinho da Assembléia Legislativa, e deve ouvir Alexandre Barrios, Rosmari Gress Ávila Silveira e José Antônio Fernandes, dono da Pensant. O requerimento convocando Delson Martini será votado na próxima segunda-feira (9). O secretário tem até o dia 19 para comparecer à Comissão.

Fonte: PTSul.

CPI do Detran - ligações interceptadas pela Operação Rodin

Áudios demonstram que Yeda sabia da fraude, avaliam petistas

Após ouvir a reprodução de 34 ligações interceptadas pela Operação Rodin, o clima era de indignação entre muitos dos 21 deputados que participaram da reunião de trabalho da CPI do Detran na tarde desta quarta-feira (4). “É uma tarde triste. Ficamos perplexos com o que ouvimos”, sintetizou o presidente da CPI, deputado Fabiano Pereira (PT), ao final da escuta coletiva. Para Fabiano, a audição comprovou que muitos depoentes não falaram a verdade nas oitivas e reforçam a necessidade da Comissão Parlamentar na apuração das responsabilidades políticas pelo desvio de recursos do Detran. “Espero que a notícia para o Brasil não seja apenas a da existência da fraude, mas das medidas que serão tomadas para punir os responsáveis e impedir a repetição disso no futuro”, disse. Fabiano declarou, ainda, que o simples fato de saber que a governadora pode ter sido consultada sobre os problemas já é muito grave. Em pelo menos duas ligações, Yeda é citada como quem decidiria a disputa entre os sistemistas do Detran.

A indignação do presidente da CPI foi reforçada por vários parlamentares, inclusive da base do governo, que se manifestaram exigindo esclarecimentos da cúpula do Executivo sobre os áudios, que envolvem diretamente o secretário de governo e de comunicação, o tucano Delson Martini, na intermediação das negociações entre os acusados da fraude. Em um dos diálogos entre os réus Flávio Vaz Neto e Antônio Dorneu Maciel fica claro que Delson Martini era quem deveria esclarecer, em nome da governadora, o caminho a seguir nas negociações entre o Detran, a Fundae e os sistemistas.

Baseado nessas evidências, o deputado Elvino Bohn Gass, do PT, apresentou publicamente o requerimento de convocação do secretário Martini, que acabou sendo assinado por nove dos 12 titulares da CPI. O primeiro a assinar foi o deputado Alexandre Postal, do PMDB, que havia se comprometido a votar a favor da convocação se fossem mostradas provas do envolvimento do secretário.

Fonte: PTSul.

quarta-feira, 4 de junho de 2008

Vereadora eleita com um voto assume cargo no PI

A vereadora Carmem Lúcia Portela Santos, 46 anos, foiemposada na última segunda-feira na Câmara Municipal de Pau D'Arco no Piauí, tendo no currpiculo um fato inédito no País. Ser parlamentar com um único voto. Ela não sabe explicar porque só obteve um único voto, mas faz uma dedução: "As pessoas erram... acho que foram anulados. Não é possível que não tive o voto nem do meu marido?", disse.

A história de Carmem Lúcia ganhou notoriedade quando o Tribunal Regional Eleitoral do Piauí cassou o mandato do vereador Miguel Abreu do Nascimento por infidelidade partidária. Ele foi eleito pelo PSDB e migrou para o PCdoB. No entanto, Carmem Lúcia, que só teve um voto na eleição de 2004, assumiu porque o suplente direto Reginaldo Sousa Santos, que era seu cunhado, morreu em um acidente de carro há dois meses.
"Sinceramente, eu não sei explicar esse um voto computado pelo TRE (a cidade tem 3,5 mil eleitores). Mas fico constrangida por saber que para eu assumir um colega teve que ser cassado. Isso não é legal", afirmou Carmem Lúcia.
Professora do Estado, Carmem Lúcia trabalha na Secretaria Estadual de Educação em Teresina, que fica a 63 km do município de Pau D'Arco. Ela conta que é a primeira vez que disputou uma eleição. "Gastei apenas R$ 1 mil com santinhos e combustíveis", afirma a parlamentar, que é filiada ao PSB.

Veja trechos da entrevista:
http://noticias.terra.com.br/brasil/interna/0,,OI2926823-EI7896,00.html

Qual o melhor logo para o governo do RS?
















E deixe a sua opinião aqui em comentários.

Curtinhas de hoje

Como Gremistas devemos ter preocupações sociais. Por isto, neste momento de dor do timinho pela perda de seu paizão Abel Naba, por que não mandar o Roth para lá como contribuição por uma justa causa? Podemos até pagar o salário se não tiverem condições de manutenção.

O que vocês acham?
--------------------
Abel Naba já avisou.
Em 10 meses eu volto.
Nada como ser dono de um timinho. A gente vai e volta a hora que quer.
--------------------
Chego a ficar emocionado com a defesa veemente que alguns comentaristas da praça estão fazendo do Roth. Tem um que, após levar mais de 100 bordoadas, numa unanimidade nunca vista antes neste país, voltou a postar reafirmando sua convicção de que Roth é o cara.
Quando o timinho perde, eles diziam que o Abel Naba mandava recuar. Quando o Grêmio perde, foi o outro técnico que jogou o time para cima. Muito apropriado.
São tão engraçadinhos que só tem um jeito de deixá-los felizes: mandar o Roth para o Cheira-Rio só com passagem de ida.

Fonte: Blog do Imortal Tricolor.

Bancada do PT protocola 24 emendas à LDO

A bancada do PT na Assembléia Legislativa protocolou, na tarde desta terça-feira (3), 24 emendas à Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). Segundo o líder, deputado Raul Pont, a idéia é conferir transparência à gestão de pessoal e regrar as concessões de benefícios fiscais. Outra preocupação dos petistas é garantir prioridade aos investimentos apontados pela participação popular. Além disso, acrescentou o deputado Pont, as emendas visam a assegurar a contratação de pessoal e reajuste para categorias, sobretudo as de menor poder aquisitivo, como é o caso dos professores, servidores da saúde e da segurança pública, por exemplo.
Até o momento, as emendas dos parlamentares petistas objetivam ampliar recursos para áreas fundamentais, como saúde, Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs), segurança pública, economia popular e solidária e ao Centro de Excelência em Tecnologia Eletrônica Avançada (Ceitec). Outras emendas devem ser protocoladas até a próxima segunda-feira (9).
Na tarde desta terça-feira, os deputados petistas acompanharam o protocolo da primeira emenda popular à Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2009 junto à Comissão de Finanças, Planejamento, Fiscalização e Controle da Assembléia Legislativa. Esta acrescenta novo artigo ao PL 107/2008, determinando a aplicação de 12% da Receita Líquida de Impostos e Transferências em ações e serviços de saúde. Este percentual está previsto na Emenda Constitucional 29, de 13 de setembro de 2000.
A emenda é subscrita por pela Central Única dos Trabalhadores, Conselho Estadual da Saúde, Federação das Santas Casas do RS, Federação dos Bancários, Sindicato dos Bancários de Porto Alegre, Sindsepe-RS, Simers-RS, Feesergs-RS, Sergs-RS, Sindisaúde-RS e Sindiberf-RS. De acordo com a legislação, as emendas populares à LDO devem ser assinadas por duas entidades ou por 500 pessoas.
Na próxima segunda-feira, encerra o prazo para a entrega de emendas populares e de parlamentares. Depois, inicia a elaboração do relatório. Na seqüência, o parecer é publicado no Diário da AL, votado na Comissão de Finanças, ruma para votação em Plenário e, finalmente, retorna ao Executivo Estadual para sanção governamental.
Por Stella Maris Valenzuela. PTSul.

terça-feira, 3 de junho de 2008

CPI do Detran

Maciel se contradiz e reconhece que Vaz Neto está no ‘olho do furacão’
Com uma metáfora não explicada, mas compreendida por todos, um dos depoentes mais esperados da CPI do Detran, Antônio Dorneu Maciel, ex-diretor geral da Assembléia Legislativa e tesoureiro do PP gaúcho, sintetizou a posição de seu amigo Flávio Vaz Neto, um dos principais denunciados pela fraude do Detran, que desviou R$ 44 milhões do Detran gaúcho. “Vaz Neto está no olho do furacão”, disse, quase no final de seu depoimento. Ocorre que é exatamente a sua proximidade com Vaz Neto, identificada nos depoimentos e nas interceptações telefônicas da PF, uma das principais razões para a aceitação da sua denúncia por peculato, formação de quadrilha e corrupção passiva. Em pouco mais de seis horas de depoimento, o ex-diretor da CEEE negou sua participação no esquema da fraude e não reconheceu sua participação em diálogos interceptados pela polícia federal lidos durante a audiência pelos parlamentares. “Sou uma pessoa do bem e não o vilão que as atuais circunstâncias podem fazer crer”, insistiu. “A PF cometeu muitos erros sobre mim”, arrematou. Seguro no início, Maciel suportou como pode a carga de perguntas dos deputados oposicionistas, mas não sobreviveu ileso ao rol de questionamentos. Coube ao presidente da CPI, deputado Fabiano Pereira, expor de maneira explícita as contradições de Maciel. “Flávio Vaz Neto é seu amigo. O que o senhor pensa dele? Ele fala a verdade ou pode inventar situações?” questionou Fabiano. O questionamento foi logo complementado com a informação que em sua reinquirição na PF, Vaz Neto cita 31 vezes o nome de Maciel e reconhece que o interlocutor de muitas de suas ligações era ele. “Inclusive as que o senhor negou nesta noite”, assinalou Fabiano.Durante todo o depoimento, Maciel negou sua participação nos diálogos interceptados pela PF durante a operação Rodin apresentados pelos deputados. Em seu questionamento, Bohn Gass leu várias interceptações telefônicas em que Maciel participa ou é citado por outros interlocutores. Em uma delas, Maciel e Vaz Neto tratam da disputa no Detran envolvendo os interesses do lobista tucano Lair Ferst. Conforme a interceptação, “Maciel diz que o negócio teria sido ruim. Que “ELE” teria dito que não sabia quem teria dito que “ELE” teria se reunido com o FLAVIO hoje de manhã e que o LAIR até agora não teria feito nada e que seria um grande engano....., que ele achava que era uma grande desconsideração, que não teria havido parceria, que ele não teria sido avisado que iria mudar o esquema.” Na mesma interceptação os dois citam um interlocutor chamado de Delcio, que seria o atual secretário de governo estadual, Delson Martini, do PSDB. Literalmente, “Flávio pergunta qual seria o “passo dois” e Maciel responde que seria o DELCIO voltar amanhã de São Paulo, que ele iria falar com ele hoje por telefone.”

Confira o restante da matéria: http://www.ptsul.com.br/t.php?id_txt=22946

Deserto Verde - Consequencias da Aracruz

Nova reportagem de Lúcio Vaz, no Correio Brasiliense (01/06/2008), fala sobre o impacto ambiental causado pelas atividades da Aracruz, no Espírito Santo:

“Em operação no Espírito Santo há cerca de 40 anos, a Aracruz Celulose construiu um império empresarial que a colocou como a maior produtora mundial de celulose de eucalipto. A empresa tem ligação estreita com o mundo político. Nas três últimas eleições, investiu R$ 6,5 milhões em candidatos do estado. Com receita líquida anual de R$ 2,8 bilhões, a Aracruz mantém 12 mil empregos diretos e indiretos e paga cerca de R$ 200 milhões em impostos. Mas a atividade também gera forte impacto ambiental. Parte de suas florestas foi implantada em Mata Atlântica ou em terras de índios e quilombolas. A empresa represou seis rios e inverteu o curso de outro para abastecer a sua fábrica. Em várias localidades, há lagoas, rios e riachos secos entre as florestas.
O Correio registrou esse impacto percorrendo cerca de dois mil quilômetros no Espírito Santo e no Sul da Bahia, onde a Aracruz instalou uma segunda fábrica, no município de Eunápolis, em sociedade com a finlandesa Stora Enso. O trabalho complementa uma série de reportagens feitas no Rio Grande do Sul, onde a Aracruz, a Stora Enso e a Votorantim (sócia da Aracruz) estão expandindo plantações de eucaliptos e implantando novas fábricas de celulose. Os erros e acertos vividos no Espírito Santo podem servir como ensinamento para a atividade em outros estados.
As conseqüências danosas da operação da fábrica de Barra do Riacho nos recursos hídricos do município de Aracruz (ES) são apontadas em estudo feito pela Associação de Geógrafos Brasileiros, seção Espírito Santo. Para a construção das duas primeiras unidades da fábrica, foi criado um sistema integrado de represas no Rio Santa Joana e nos córregos Santa Joana, Águas Claras, Arroz, Alvorada, Piabas e Constantino. “As nascentes e grande parte do curso desses rios passaram a ser de uso exclusivo da Aracruz Celulose”, diz o estudo.

Fonte: RS Urgente (link ao lado).

Orgulho de ser gaúcho

Arnaldo Jabor sobre o RS/Não deixem de ler!!!

Pois é.
O Brasil tem milhões de brasileiros que gastam sua energia distribuindo ressentimentos passivos Olham o escândalo na televisão e exclamam 'que horror'.
Sabem do roubo do político e falam 'que vergonha' vêem a fila de aposentados ao sol e comentam 'que absurdo'.
Assistem a uma quase pornografia no programa dominical de televisão e dizem 'que baixaria'.
Assustam-se com os ataques dos criminosos e choram 'que medo'
. E pronto! Pois acho que precisamos de uma transição 'neste país'. Do ressentimento passivo à participação ativa'.
Pois recentemente estive em Porto Alegre, onde pude apreciar atitudes com as quais não estou acostumado, paulista/paulistano que sou.
Um regionalismo que simplesmente não existe na São Paulo que, sendo de todos, não é de ninguém. No Rio Grande do Sul, palestrando num evento do Sindirádio, uma surpresa.
Abriram com o Hino Nacional.
Todos em pé, cantando.
Em seguida, o apresentador anunciou o Hino do Estado do Rio Grande do Sul.
Fiquei curioso. Como seria o hino?
Começa a tocar e, para minha surpresa, todo mundo cantando a letra!
'Como a aurora precursora /
do farol da divindade, /
foi o vinte de setembro /
o precursor da liberdade '

Em seguida um casal, sentado do meu lado, prepara um chimarrão.
Com garrafa de água quente e tudo.
E oferece aos que estão em volta.
Durante o evento, a cuia passa de mão em mão, até para mim eles oferecem.
E eu fico pasmo. Todos colocando a boca na bomba, mesmo pessoas que não se conhecem. Aquilo cria um espírito de comunidade ao qual eu, paulista, não estou acostumado.
Desde que saí de Bauru, nos anos setenta, não sei mais o que é 'comunidade'.
Fiquei imaginando quem é que sabe cantar o hino de São Paulo.
Aliás, você sabia que São Paulo tem hino? Pois é...
Foi então que me deu um estalo.
Sabe como é que os 'ressentimentos passivos' se transformarão em participação ativa?
De onde virá o grito de 'basta' contra os escândalos, a corrupção e o deboche que tomaram conta do Brasil?
De São Paulo é que não será.
Esse grito exige consciência coletiva, algo que há muito não existe em São Paulo.
Os paulistas perderam a capacidade de mobilização. Não têm mais interesse por sair às ruas contra a corrupção.
São Paulo é um grande campo de refugiados, sem personalidade, sem cultura própria, sem 'liga'.
Cada um por si e o todo que se dane.

E isso é até compreensível numa cidade com 12 milhões de habitantes.
Penso que o grito - se vier - só poderá partir das comunidades que ainda têm essa 'liga'. A mesma que eu vi em Porto Alegre.
Algo me diz que mais uma vez os gaúchos é que levantarão a bandeira. Que buscarão em suas raízes a indignação que não se encontra mais em São Paulo.
Que venham, pois. Com orgulho me juntarei a eles.
De minha parte, eu acrescentaria, ainda:

'...Sirvam nossas façanhas, de modelo a toda terra...'
Arnaldo Jabor

Quebra-pau na CPI do Detran

segunda-feira, 2 de junho de 2008

Falta de argumentos

Com um defensor como o deputado Pedro Pereira (PSDB), a oposição não precisa fazer muito esforço para tirar o sono do governo.
Tentar evitar a convocação de Delson Martini com o argumento de que na transcrição do telefonema de Flavio Vaz Netto para um intelocutor não-identificado está escrito "Délcio" — e que isso seria sinal da falta de intimidade do ex-presidente do Detran com o secretário-geral de Governo — é o cúmulo da falta de argumento.
Aliás, o mesmo Pedro Pereira insiste em dizer que "o mensalão foi abafado", que "o mensalão deu em nada". Será que ele não sabe que 40 pessoas foram denunciadas e estão sendo processadas? São réus, Excelência, como o são os 40 acusados de envolvimento na fraude do Detran.

Fonte: Blog da Rosane de Oliveira, junto ao ClicRBS.

Próximos jogos do Imortal

08/Jun - Dom - 16:00 - Grêmio x Fluminense
Estádio Olímpico - Porto Alegre RS

14/Jun - Sáb - 18:10 - Goiás x Grêmio
Estádio Serra Dourada - Goiania GO

22/Jun - Dom - 16:00 - Grêmio x Atlético Petralha
Estádio Olímpico - Porto Alegre RS

29/Jun - Dom - 18:10 - Grêmio x Internacional
Estádio Olímpico - Porto Alegre RS

"E se Yeda Crusius fosse Olívio Dutra?"

"E se Yeda Crusius fosse Olívio Dutra?", questiona Paulo Henrique Amorim
O jornalista Paulo Henrique Amorim, faz lagumas interessantes ponderações sobre o caso Detran e o tratamento que ele recebe na grande imprensa, sobretudo na Folha de São Paulo, em comentário publicado no blog Conversa Afiada nesta quarta-feira (28). Ele analisa os fatos a partir das matérias publicadas no jornal paulista e critica a ausência de nexos estabelecidos entre o desvio de recursos e o caixa tucano e à falta de providências da governadora yeda Crusius em relação à "usina de roubalheira" herdada do governo Germano Rigotto. E conclui: " Se o escândalo tivesse estourado no colo do Governador Olívio Dutra, a fúria do PiG e da Folha teria tido de intensidade diferente".

Confira o comentário:

Roubalheira no Rio Grande do Sul é dos tucanos
Paulo Henrique Amorim

Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista.
O Conversa Afiada já demonstrou que a conta da corrupção dos tucanos começa a chegar.
O Ministério Público Federal, no Rio Grande do Sul, pediu indiciamento dos acusados de fraudar o sistema de concessão de carteira de habilitação no Rio Grande do Sul.
. A pequena nota da Folha ignora dois fatos importantes: o esquema estava indissoluvelmente ligado à caixa do PSDB no Rio Grande do Sul.
. Era uma ligação tão íntima quanto a de Ricardo Sérgio de Oliveira com as campanhas de Fernando Henrique Cardoso e José Serra.
. A segunda circunstância que a Folha ignora é que há uma acusação grave de que a Governadora Yeda Crusius não tomou as providências que deveria tomar, quando soube que herdara de Germano Rigotto aquela “usina de roubalheira”.
. Se o escândalo tivesse estourado no colo do Governador Olívio Dutra, a fúria do PiG e da Folha teria tido de intensidade diferente.

domingo, 1 de junho de 2008

Acaba a invencibilidade

Dependentes do Roger e da instável lucidez do Roth

Qualquer pessoa que vive o futebol sabe que em um campeonato extenso e parelho como o brasileiro ficar sem tomar gols é praticamente impossivel. Mas isso justificaria uma derrota em circunstancias normais, e não uma derrota onde o time mostrou que tinha futebol para levar os 3 pontos, mas a falta de percepção do seu técnico aderindo a retranca foram determinantes. O Grêmio perdeu fora de casa e de virada para um Vasco ainda tonto, e algumas dependências e posturas tem que ser revistas para o resto do campeonato.
Nosso gol saiu de uma enfiada (sensacional) do Roger para o bom cruzamento do Paulo Sérgio, seguido da conclusão do Reinaldo. Por sinal, Reinaldo voltou bem, mas a pressão do jogo fez com que a lesão, que deixou o atleta muito tempo fora dos gramados, voltasse a assombrar novamente. Sorte pra ti cara.
Pelos lados do adversário, o atacante vascaíno Jean entrou para iniciar o segundo tempo tirando o meia Moraes e mudando a história da partida. O Vasco declarou batalha direta entre 3 zagueiros e 3 atacantes, e a partida foi decidida exatamente na troca de peças, que funcionou para os lados do Vasco, e não para os lados do Grêmio.
O time de São Januário perdendo tomou uma postura mais ofensiva, já o tricolor quando levou o primeiro, se contentou em apenas administrar o empate, mudando Soares por Marcel (aqui da até pra entender, era uma maneira de buscar proveito nas bolas aéreas já que a articulação não estava redendo mais), e depois colocando o Makelele quando teve que sair o atacante Reinaldo. Roth deveria ter posto o Jonas e trocado somente a peça na mesma função, mas não o fez, e quando percebeu que o placar já era negativo decidiu tentar reorganizar a "bagaça", mas nessa hora Roger já não rendia mais, e tentando recuperar o prejuízo ofensivo colocando Jonas no seu lugar, optou por deixar os atacantes órfãos de companheiros para a criação...ou ele contava com o poder de articulação do volante Makelele? O cara vem atuando bem, mas não da pra ser volante/articulador/atacante. Fala sério...
Duas constatações gritantes: Roger é o cérebro do Grêmio, mas não pode ser a única alternativa de articulação, e temos que ter alguem no banco para ser o seu reserva; e fazer o simples e lógico pode ser o melhor caminho.
Fonte: Blog do Tricolor junto ao ClicRBS.


Opinião do blogueiro:
Ainda bem que o Tcheco ta chegando, eu sempre fui um defensor do Tcheco. Agora, Pico, Makelele no lugar dum atacante, complica a vida do time né Roth.
O Tite sobrando e o Grêmio com o Roth. É coisa braba!

Resultados da Enturmação

Governo Yeda reduz 8,3 mil turmas nas escolas gaúchas

As escolas estaduais gaúchas reduziram 8,3 mil turnos no decorrer deste ano, segundo balanço divulgado na manhã desta quinta-feira (29) pela Secretaria Estadual da Educação, que aponta também a redução do número de escolas. Em um ano, a SEC fechou ou transferiu às prefeituras 122 instituições — a maioria localizada em áreas rurais. O processo de "enturmação" usou 47,9 mil turmas para agrupar 1,3 milhão de alunos. Por Clicrbs.